A Arcelor, maior siderúrgica do mundo, com sede em Luxemburgo, informou por meio de comunicado, que fechou acordo para aumentar o seu controle na brasileira Companhia Siderúrgica de Tubarão (CST) e que deverá unificar suas operações no Brasil. O acordo envolve o direito de comprar as participações da norte-americana California Steel Industries, da japonesa JFE Steel Corp. e de outros acionistas japoneses na CST.

Com o negócio, a Arcelor terá a opção de comprar cerca de 9,4% de participação que esses acionistas detêm na CST, em meados de 2005, quando terminará o acordo atual de acionistas. Esta negociação permitirá também que a Arcelor assuma a fatia que comprou da Companhia Vale do Rio Doce (CRVD) na empresa mais cedo, a partir do quarto trimestre deste ano. A siderúrgica adquiriu o controle que a Vale detinha na CST em junho, por US$ 578,5 milhões, e passou a deter 61,8% do seu capital total. Com este novo acordo, ela deverá deter mais de 70% da companhia.

A Arcelor pretende investir US$ 3 bilhões na expansão de operações e em aquisições no Brasil até 2010, disse Michel Wurth, diretor financeiro da empresa. "Nossa primeira prioridade era o Brasil e a América do Sul e nós fomos bem-sucedidos", afirmou Guy Dollé, principal executivo da Arcelor.

A siderúrgica poderá formar uma holding para controlar seus ativos sul-americanos, com ações comercializadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). A Arcelor manteria uma participação de 55% nessa holding. Entre os outros ativos brasileiros da empresa estão participações na Acesita e na Companhia Siderúrgica Belgo-Mineira.

A CST registrou vendas de US$ 1,28 bilhão em 2003. A Arcelor foi formada em 2002 após a fusão da Usinor, da França, da Arbed, de Luxemburgo, e da Aceralia Corporación Siderúrgica, da Espanha.

Autor(es): Reuters, Bloomberg News e Gazeta Mercatil

facebook      twitter      google+

Empresas
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Empresas