Gerenciamento de resíduos verdes para preservação ambientalO termo “gerenciamento de resíduos verdes” é um termo amplo usado para descrever qualquer forma ecológica de transformação de materiais recicláveis que foram descartados. Em muitos casos, esta abordagem à gestão de resíduos é focada em encontrar maneiras de reciclar e reutilizar os itens descartados, garantindo assim que os produtos tenham como destino um aterro sanitário, gerando conseqüências negativas para o meio ambiente. Em outras ocasiões, a estratégia visa encontrar formas de eliminar materiais tóxicos, de modo que isso não culmine em danos permanentes ao ecossistema do planeta.

Estudos realizados recentemente apontam que cada ser humano produz um pouco mais de 1 quilo de lixo por dia, em média. Atualmente, a produção de lixo mundial, por ano, é de cerca 400 milhões de toneladas. Ou seja, a reciclagem seria a solução mais apropriada para evitar o desperdício de materiais, reutilizando a matéria-prima na confecção de novas peças, com redução de custos de produção para as empresas. A reciclagem é uma das principais abordagens encontradas em qualquer tipo de programa de gestão para eliminação de resíduos verdes. Muitas cidades brasileiras, como é o caso de Curitiba (PR), Itabira (MG), Londrina (PR), Santo André (SP) e Santos (SP), participam de programas de reciclagem e de coleta seletiva de lixo, contando com a participação de cooperativas do lixo. Essas cooperativas reciclam todo o tipo lixo descartado pela população, mas que pode ser reaproveitado, como latas, jornais, papel, plásticos e garrafas de vidro, e são importantes peças na geração de empregos e de renda para as comunidades carentes.

Um planejamento de gerenciamento em relação ao trabalho de reciclagem relacionado ao sistema de coleta de lixo municipal é apenas um exemplo de gestão de resíduos verdes. Muitas empresas e serviços públicos trabalham em conjunto em programas internos que permitam a recolha dos materiais utilizados. Esses materiais são, por sua vez, utilizados para criar novas unidades de produtos. Os indivíduos também se envolvem no processo de gestão de resíduos. Atitudes simples, como uso de toalhas de pano em substituição às toalhas de papel, uso de produtos biodegradáveis oferecidos no mercado, bem como a preferência por comprar refrigerantes em garrafas PET recicláveis, ajudam e muito no desenvolvimento sustentável de suas comunidades, cidades e país.

Dados sobre a reciclagem de lixo no Brasil

Embora muitas pessoas não se dêem conta disso, o lixo pode ser considerado uma grande fonte geradora de riquezas. No Brasil, as indústrias de reciclagem produzem papéis, chapas de alumínio, lâminas de borracha, fibras e até mesmo a energia elétrica, originada com a combustão. Do total de lixo produzido nas cidades brasileiras, 39% do montante é formado por papel e papelão; 16%, metais ferrosos; 15% de vidro; 8% de rejeito; 7%, plástico filme; 2%, embalagens longa vida e, por último, 1% do lixo gerado no Brasil é composto de alumínio. O Brasil, apesar de ser visto com um país líder em reciclagem de alumínio, pouco reaproveita outros materiais, como plástico, borracha e vidro, desperdiçando, a cada ano, aproximadamente R$ 4,6 bilhões, simplesmente porque não se recicla tudo o que poderia.

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Meio Ambiente
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Meio Ambiente