O método de perfuração offshore no setor de petróleo e gás é uma técnica de extração de óleo, que permite que as companhias petrolíferas tenham acesso aos depósitos de petróleo localizados no fundo do mar, abaixo da plataforma continental. Todos os avanços na tecnologia de perfuração, empregando plataformas especiais, permitiram a prospecção em regiões antes inexploradas, como no caso do pré-sal brasileiro e tornou a exploração offshore um negócio economicamente viável. Muitas entidades se colocam contra a prospecção de petróleo offshore, devido a preocupações sobre seu impacto sobre o meio ambiente e à aparência antiestética que as plataformas petrolíferas provocam por toda a costa litorânea.

Muitas seções dos oceanos contam com depósitos de petróleo enormes enterrados sob a areia, abaixo do nível do mar, e esses depósitos de petróleo são extremamente atraentes para as companhias petrolíferas mundiais. A primeira operação de perfuração de petróleo offshore foi estabelecida em 1938 no Golfo do México, e outros produtores rapidamente começaram a fazer o mesmo em outras regiões do mundo. Na década de 1970, muitas comunidades haviam decretado uma proibição específica em relação à perfuração offshore e esta questão tornou-se um ponto de discórdia em algumas áreas.

Uma operação de perfuração de petróleo offshore pode ser executada de várias maneiras. Para isso, diferentes tipos de plataforma de petróleo normalmente são utilizados, conforme a profundidade no local, o tipo de óleo a ser extraído e algumas condições prevalecentes. Classicamente, as plataformas fixas são construídas bem ao fundo do oceano, com cabeças múltiplas e peças ajustáveis para permitir que os trabalhos de engenharia obtenham sucesso na extração de óleo da área circundante. Já as plataformas flutuantes são aproveitadas também e m algumas regiões, especialmente para facilitar o armazenamento do óleo e a sua transferência até os navios aliviadores.

Trabalhar em uma plataforma de perfuração offshore pode ser algo extremamente arriscado. Vários acidentes relacionados a explosões de plataformas foram registrados nos últimos anos, matando dezenas de pessoas. Os trabalhadores em plataformas petrolíferas ainda têm que lidar com condições climáticas severas, problemas com funcionamento de equipamentos e condições geológicas desfavoráveis, que acabam por se tornarem perigosas. Por isso mesmo, devem ser muito bem remunerados, em reconhecimento a cerca dos riscos que correm atuando diretamente com as atividades de exploração no setor petrolífero.

Efeitos ambientais decorrentes da extração de petróleo

Os efeitos ambientais causados pela perfuração offshore são basicamente relacionados à poluição gerada por equipamentos mal geridos e com falhas de manutenção. Os derramamentos de petróleo em torno de plataformas comuns, especialmente no fundo do mar, onde a perfuração pode estimular o escoamento de metais pesados com consequente poluição ambiental, também podem acontecer. Algumas entidades não-governamentais e ambientalistas acreditam que a perfuração offshore de petróleo perturba e compromete a vida marinha, embora, ironicamente, as plataformas também forneçam abrigo para aves marinhas e peixes.

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Petróleo & Gás
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Petróleo & Gás