Causas da interferência eletromagnética em aparelhos eletrônicosA interferência eletromagnética (EMI), ou interferência de rádio frequência, é um problema comum que ocorre com aparelhos eletrônicos, quando o desempenho de um dispositivo é perturbado ou interrompido por radiação eletromagnética ou condução eletromagnética. Por ser um distúrbio que afeta um circuito elétrico devido à indução eletromagnética ou à radiação eletromagnética emitida por uma fonte externa, algumas causas da interferência eletromagnética em aparelhos eletrônicos podem ser de origem natural ou artificial, mas independentemente do tipo de interferência eletromagnética, isso pode se tornar um problema muito grave em algumas situações. Além de surgir ocasionalmente, a radiação eletromagnética também pode ser criada de forma deliberada, como é feito por aviões militares que pretendam interromper os sinais eletrônicos das forças inimigas.

A deliberada produção de interferência eletromagnética é uma ferramenta tática utilizada por alguns policiais e militares para efeitos de sinais de interferência. As luzes solares são causas comuns natural de interferência eletromagnética. Esse fenômeno causa muita radiação, causando possíveis interferências em dispositivos eletrônicos domésticos e industriais. A atividade solar também se mostra um fator prejudicial ao desempenho de satélites e aviões.

Interferência eletromagnética de causas naturais

Qualquer aparelho eletrônico é capaz de, potencialmente, criar interferências eletromagnéticas em diferentes níveis. Dispositivos tais como aparelhos celulares, telefones sem fio, roteadores e internet sem fio, em particular, tendem a ser propensos a gerar interferência eletromagnética; isso justifica o fato de os celulares terem de ser desligados quando no interior de aviões e até mesmo quando estão próximos a equipamentos hospitalares que emitem radiação. Qualquer aparelho eletroeletrônico de grande porte que gera grandes quantidades de energia, como uma geladeira ou ar condicionado, também pode ser responsável por interferências desse tipo.

O EMI pode ser classificado em dois tipos: de banda estreita e banda larga. A interferência de banda estreita geralmente surge de transmissões intencionais, tais como estações de rádio e televisão, transmissores pagers, telefones celulares. Por outro lado, a interferência de banda larga normalmente ocorre a partir de acessórios emissores de rádio frequência. Isso envolve linhas de transmissão de energia elétrica, motores elétricos, termostatos, entre outros. Cabe ressaltar que a energia elétrica, ao ser ligada ou desligada rapidamente, também é uma potencial fonte de EMI.

Muitos fabricantes de dispositivos eletrônicos precisam estar em conformidade com as leis regionais criadas e estabelecidas para evitar interferências eletromagnéticas, especialmente em equipamentos que nunca podem sofrer com interferências nocivas. Essas medidas incluem o aterramento dos circuitos elétricos e proteção dos dispositivos de modo que eles fiquem menos propensos à emissão de radiação. Algumas indústrias e empresas se vêem obrigadas a adotar sistemas de circuitos fechados para equipamentos específicos, tanto como medida de precaução como para reduzir a condução eletromagnética entre esses dispositivos e os dispositivos no mesmo circuito.

Antes de serem vendidos, os dispositivos eletrônicos são geralmente testados de acordo com cumprimento das leis sobre radiação eletromagnética. Os usuários desses equipamentos eletroeletrônicos podem ajudar a reduzir a interferência eletromagnética ao manter os itens e componentes que sejam susceptíveis à interferência bem isolados, certificando-se de que os dispositivos sejam utilizados conforme o recomendado pelos fabricantes.

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Elétrica & Eletrônica
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Elétrica & Eletrônica