Mistura de lubrificantes pode causar problemas em máquinasA mistura de lubrificantes pode causar problemas em máquinas e para os próprios lubrificantes, sendo este um dos fatores que mais provocam falhas inesperadas em equipamentos e sistemas das linhas de produção. A equipe de manutenção responsável pelos reparos nos equipamentos industriais deve estar sempre atenta ao tipo de lubrificante utilizado em cada componente e, especialmente, nunca substituir o lubrificante (óleo ou graxa) que já está sendo empregado por outro. Prestar atenção a este fato é importante para que não haja a combinação de lubrificantes sintéticos e outros minerais, já que muitas vezes esses produtos são incompatíveis.

Alguns dos problemas gerados por este erro incluem mudanças de composição do óleo base, levando a possíveis vazamentos e falhas de vedação; precipitação do aditivo, perda de desempenho antidesgaste, perda de propriedades do produto e redução da estabilidade à oxidação. Além disso, é comum que ocorram incompatibilidades entre diferentes os tipos de espessantes. Os espessantes de graxa são notoriamente incompatível com o óleo lubrificante, e a mistura equivocada resulta em mudanças de consistência do óleo.

Causas da mistura de lubrificantes

Um incidente grave como este, um problema real em muitas plantas industriais e que acaba comprometendo todo o processo produtivo com as falhas de máquinas e sua consequente paralisação, pode acontecer por diversos motivos. A primeira delas é a não especificação de todos os tipos de graxas e lubrificantes industriais (entre eles, os lubrificantes pneumáticos, hidráulicos, marítimos, lubrificantes sintéticos e minerais) existentes em cada departamento da planta; e a segunda, é não especificação, por parte dos fabricantes, de qual o lubrificante mais adequado para cada componente, tais como motores elétricos, rolamentos, engrenagens e bombas.
Lubrificante sintético

Outra causa é o controle de estoques deficiente. Em muitos casos, as plantas industriais passam por situações em que o uso de grande volume de óleo é algo extremamente necessário. Contudo, se não existem um controle de estoques eficiente e as empresas não disponibilizarem da quantidade de produto suficiente para cobrir a demanda, então, restam duas saídas: fazer a mistura de lubrificantes ou desligar as máquinas. Para evitar essa situação, é essencial organizar o estoque de produtos para atender a demanda sempre com sobras, garantindo uma distribuição precisa e eficaz de produtos a cada máquina do chão de fábrica.

A falta de conhecimento sobre os perigos da mistura de lubrificantes também se mostra um fator gerador de grandes incidentes nas indústrias. Este é um problema mais corriqueiro em plantas praticam o modelo de Manutenção Preventiva Total, e onde as pessoas possuem pouco ou nenhum conhecimento dos sistemas de lubrificação que estão empregando.

É sabido que muitas vezes é comum a mistura de lubrificantes quando se muda de um fornecedor para outro. Contudo, diante de uma condição assim, deve-se considerar:

Compatibilidade do óleo de base;
• Compatibilidade dos pacotes de aditivos;
• No caso de graxas, compatibilidade dos espessantes.

Um bom recurso quando se considera a mistura de lubrificantes é proporcionar aos departamentos de engenharia o acesso irrestrito a estudos de compatibilidade, tanto entre seus próprios produtos como em relação aos produtos dos concorrentes. É fundamental usar o método adequado para obter resultados mais precisos, porque os testes de análise mais comumente aplicados ao óleo normalmente não fornecem ao usuário informações seguras e concisas.

Uma vez que as práticas de armazenamento e manipulação de lubrificante sejam de qualidade e estejam em conformidade com as normas de regulamentação, praticamente as únicas condições para realizar a mistura de lubrificantes serão provenientes de ações planejadas e esperadas pelas empresas.

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Manutenção
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Manutenção