Uso das bombas de vácuoA bomba de vácuo foi originalmente inventada em 1650, por Otto von Guericke, para ajudar os químicos a estudarem as propriedades dos gases e o fenômeno descoberto chamado de eletricidade. Um sistema de vácuo foi criado a fim de eliminar todo o ar de um recipiente hermeticamente fechado. Quando um gás especial foi introduzido na câmara, os cientistas foram capazes de estudar as propriedades deste gás, sem os efeitos do ar para confundir suas propriedades. A partir daí foi um processo simples adicionar uma carga elétrica ao gás, o que poderia resultar em uma corrente de energia a ser estudada posteriormente.

Embora a bomba de vácuo tenha surgido no berço da comunidade científica, com o passar dos séculos e a evolução dos processos industriais e da tecnologia, especialmente após a Revolução Industrial, esses tipos de bombas industriais começaram a desempenhar um papel mais prático. Nas indústrias e nos processos de fabricação, a bomba de vácuo é útil para mover remover gases ou vapores de sistemas fechados. Existem dois tipos de bombas de vácuo de uso comum: a bomba de ar comprimido e a bomba eletromecânica. A bomba de ar comprimido, também chamada de gerador, utiliza os princípios estabelecidos pelo conhecido físico Daniel Bernoulli, em que o ar comprimido que é forçado através de um bocal, criando um vácuo quando ele interage com a alta pressão do ar externo.

O segundo tipo de bomba de vácuo é a bomba eletromecânica. O modelo de cata-rotativo é um exemplo comum. Esse tipo de bomba utiliza uma rotor e palhetas que aprisionam o ar e fo empurram através da bomba, criando um vácuo parcial em seu rastro. Embora muito útil em situações menos críticas, estas bombas exigem condições específicas para funcionarem bem, com o máximo de desempenho possível, além de necesitarem de uma fonte de eletricidade pelo fato de terem um motor elétrico.

Bomba de vácuo rotativaAs bombas de alto vácuo são usadas em puxar a alta pressão diferencial (isto é, o vácuo), ou retirar a umidade dos circuitos de refrigeração. Geralmente, essas bombas deslocam quantidades muito pequenas de gases - menos de 30 litros por minuto. As baixas pressões que podem ser alcançadas são cerca de 1 mícron de coluna de mercúrio de pressão - como no vácuo.

Manutenção das bombas à vácuo

As bombas à vácuo são equipamentos industriais caros, portanto, mantê-las livres de danos é um fator primordial para que o equipamento funcione com sua total capacidade. O custo de manutenção, nesse caso, é um investimento necessário a fim de assegurar a continuidade das operações. Assim como o motor automotivo, a bomba requer certos cuidados e isso inclui a limpeza do motor elétrico da bomba de vácuo, além da troca regular do óleo que já esteja apresentando desgaste, a fim de proporcionar um ótimo nível de desempenho e reduzir os reparos não planejados e a manutenção corretiva inadequada do equipamento.

Alguns fabricantes de bombas de vácuo sugerem que as mudanças no óleo lubrificante sejam feitas a cada um ano, pelo menos. Contudo, um programa de manutenção bem planejado pode prever a troca do fluido lubrificante em um período menor, de acordo com a frequência e a intensidade de uso das bombas e dos demais equipamentos utilizados na planta industrial.

A manutenção preventiva das bombas à vácuo consiste na lavagem óleo, bem como da total retirada do lubrificante usado e desgastado para a aplicação do óleo novo. Se houver desgastes também na correia do motor da bomba, é aconselhável que esse suprimento seja trocado também, evitando maiores riscos de danos.

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Máquinas & Equipamentos
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Máquinas & Equipamentos