Embalagem sustentávelA embalagem sustentável é um produto inovador que já fez a cabeça de muitas pessoas, especialmente porque ela reduz o impacto sobre o meio ambiente. Uma das grandes vantagens desses modelos de embalagens sustentáveis, ou embalagens “verdes”, é que elas são feitas de plástico reciclado, portanto, são também mais econômicas para produzir e não geram maiores custos com o despejo de mais resíduos em aterros. Há também muitas sacolas de tecidos, que são aquelas normalmente encontradas em supermercados, e filmes biodegradáveis produzidos em escala industrial.

Ao considerar a sustentabilidade das embalagens, múltiplos fatores devem ser levados em conta, incluindo os custos reais de produção, de energia e de transporte, além das fontes de matérias-primas utilizadas e o grau de toxicidade a que os operários são expostos durante a fabricação desses produtos. Há que se considerar igualmente as emissões de carbono na produção dos plásticos e sua decomposição e nível de biodegradabilidade do produto acabado.

Poliéster biodegradável sintético

Embalagem verdeOs materiais de poliéster biodegradável sintéticos precisam de apenas algumas semanas para se decompor, em contraste com algumas embalagens plásticas convencionais que pode demorar séculos para se degradarem. Os poliésteres biodegradáveis sintéticos são utilizados em embalagens descartáveis para fast foods, carnes e produtos congelados, sendo empregados na produção de bandejas e embalagens em geral. Os dois tipos principais de fibras sintéticas de poliésteres biodegradáveis feitos em embalagens são poliésteres amorfos, que são claros e flexíveis, e semicristalinos poliésteres, que são mais duros e opacos.

Recentemente, alunos e professores dos cursos de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos do Centro de Ciências Agrárias e de Biotecnologia, da Universidade Estadual de Londrina (UEL), desenvolveram um estudo que observa a possibilidade produzir plásticos a partir do amido de mandioca. Com base nisso, os pesquisadores fabricaram diversos tipos de filmes e bandejas de alimentos, além de sacos para mudas de plantas, que contêm até 60% de amido de mandioca.

Anualmente, são produzidos por volta 150 milhões de toneladas de plástico em todo o mundo. Mas com o aproveitamento do amido de mandioca para a fabricação de sacos e embalagens plásticas sustentáveis, seria possível reduzir significativamente o impacto ambiental. Empresas como a Natura, a TetraPak, a Coca-Cola, que lançou em 2010 nova embalagem sustentável produzida com 30% do etanol da cana-de-açúcar e a Bombril, que também apresentou no ano passado uma nova linha de produtos, a Ecobril, com embalagens feitas de matérias-primas naturais e renováveis, contribuem com o meio ambiente e mostram que é possível aliar os interesses de preservação do meio ambiente, competitividade de mercado e qualidade em seus produtos.

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Meio Ambiente
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Meio Ambiente