Nissan suspende produção no EgitoDevido à intensa turbulência no país, atingido por sangrentos protestos anti-governo, a Nissan Motor suspendeu sua produção no Egito, pelo menos durante esta semana, de acordo com o que informou um porta-voz da empresa nesta segunda-feira, 31 de janeiro.

A Nissan, uma das maiores montadoras da indústria automobilística mundial suspendeu as operações na fábrica de Gizé, ao sul do Cairo, em 30 de janeiro. A paralisazação deve durar pelo menos uma semana, até que os confrontos políticos sejam amenizados. A planta industrial da Nissan produz cerca de 10.000 unidades por ano, principalmente os utilitários esportivos e picapes.

Protestos

Veículo da fabricante NissanSeis dias de protesto contra o governo do presidente Hosni Mubarak, que já dura três décadas, têm abalado o Egito e deixou pelo menos 125 pessoas mortas. Vários governos estrangeiros, incluindo o Japão, estão retirando os cidadãos japoneses da região, enquanto os Estados Unidos autorizaram a saída de famílias da embaixada.

Entre outras empresas japonesas, a fabricante de eletrônicos Panasonic pediu que seus empregados adiassem as viagens de negócios para o Egito, Jordânia e Iêmen.

A Toyota Motor, que vendeu 15.000 unidades no Egito em 2010, planeja começar a montar 3.000 veículos utilitários esportivos por ano no país a partir do próximo ano. "A empresa está parando quaisquer viagens de negócios para o Egito, no momento," disse o porta-voz Paul Nolasco, acrescentando que há ainda o impacto da instabilidade política sobre os planos de produção da montadora no país.

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Empresas
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Empresas