A Apple lançou, nesta terça-feira, 15 de fevereiro, um serviço de assinatura de jornais digitais, revistas, músicas e vídeos comprados de modo on-line através da sua App Store. A Apple terá uma redução de 30% da receita de assinaturas vendidas através de aplicações em sua App Store, empresa baseada na Califórnia. Não haverá compartilhamento de receita para as assinaturas digitais vendidas por intermédio do site da própria editora, disse a Apple.

Mas a empresa disse que "as mesmas ofertas de subscrição devem ser disponibilizadas, pelo mesmo preço ou até menos" para os clientes que desejam se inscrever para uso de um aplicativo. A Apple disse também que os editores não serão autorizados a fornecer links em seus aplicativos para sites de fora "que permitem que o cliente compre conteúdo ou assinaturas sem ser do aplicativo".

"Nossa filosofia é simples", enfatizou o CEO da Apple, Steve Jobs, em um comunicado. "Quando a Apple traz um novo assinante para o aplicativo, a empresa ganha uma quota de 30%, assim que a editora ganha um assinante novo ou mantém um já existente para o aplicativo; o editor mantém 100% e Apple não ganha nada."

Jobs, que esteve em licença médica desde o mês passado, disse que o serviço de assinatura "vai oferecer aos editores uma oportunidade nova para ampliar o acesso ao seu conteúdo digital para o IPad, iPod Touch e iPhone”. "Tudo o que pedimos é que, se um editor está fazendo uma oferta de subscrição fora do aplicativo, esta mesma oferta pode e deve ser feita dentro do aplicativo, de modo que os clientes conseguem facilmente se inscrever com apenas um clique com o botão direito no aplicativo", afirmou.

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Tecnologia & Inovação
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Tecnologia & Inovação