Empresa dos grupos Arcelor e Mannesmannröhren, começa em 2005. A alemã Europipe e a Vallourec & Mannesmann Tubes começam a tirar do papel um projeto de investimento de € 49 milhões (R$ 177 milhões) para construção de uma fábrica de tubos de aço soldados de grande diâmetro. Instalada nos arredores de Vitória, a Tubos Soldados Atlântico (TSA) vai abastecer o mercado da América do Sul com uma produção anual de 90 mil toneladas de tubos e faturamento estimado em cerca de US$ 90 milhões por ano.

O mercado brasileiro para o produto é de aproximadamente 300 mil toneladas e cresce entre 3% e 4% ao ano, acima da média mundial de 1%, para um volume de 4 milhões de toneladas anuais, informou Eberhard Tidze, executivo da Europipe responsável pelo projeto. 'A TSA vai complementar a operação da V&M do Brasil (V&M Tubes) que produz tubos sem costura com até 14 polegadas de diâmetro', afirmou Paulo Alencar, executivo da V&M que vai dirigir a TSA.

Os tubos da TSA vão de 16 polegadas a 56 polegadas de diâmetro externo e destinam-se, entre outros, aos mercados de gás, óleo, água e saneamento e construção portuária, nesse caso com uso para estaqueamento ou retenção. Além dos tubos, a empresa vai produzir também todos os acessórios necessários para instalação, inclusive ramais, disse Alencar.

A Europipe será encarregada do repasse de tecnologia, desenvolvimento de produtos e treinamento do pessoal. A empresa, segundo Tidze, é a maior do mundo no segmento, com produção anual de 1 milhão de toneladas e receita em torno de € 1 bilhão. Atualmente, a Europipe mantém fábricas na Alemanha, França e Estados Unidos e exporta para a África, Ásia e demais países da Europa. Na operação brasileira será majoritária, com 60% do capital. A Vallourec & Mannesmann responderá pela área administrativa e de mercado e ficará com 20% do negócio. Os demais 20% estão divididos entre empresas nacionais, informou Alencar, sem revelar os nomes.

Empresas irmãs

É a primeira operação da Europipe na América do Sul. Um dos fatores importantes para o negócio foram os fortes investimentos da Companhia Siderúrgica Nacional (CST) na produção de bobinas laminadas a quente. Europipe e CST têm um sócio em comum, a européia Arcelor. A Europipe é uma joint venture entre o grupo alemão Salzgiter AG/Mannesmannröhren e a Dillinger Hütte, empresa que faz parte do grupo Arcelor. Já a V&M Tubes é uma associação entre a francesa Vallourec, com 55% do negócio, e a alemã Mannesmannrörhren-Werk, com os demais 45%. 'Trata-se de uma sinergia de operações', disse Alencar.

O executivo informou que a nova unidade deve iniciar a produção na segunda metade de 2005. A fábrica está instalada em área de cerca de 170 mil metros quadrados e vai produzir tubos com revestimento externo de polietileno e polipropileno e interno de epóxi. A previsão é de contratar 150 empregados. De acordo com Alencar, o nível de automatização da fábrica será alto e boa parte dos equipamentos já chegaram a Vitória; 25% deles são importados e o restante comprado no Brasil.

Segundo o futuro diretor da TSA, a empresa será beneficiada por incentivos fiscais do estado, mas a escolha do Espirito Santo deveu-se principalmente pela proximidade da CST e pela localização geográfica com fácil acesso para escoar as vendas tanto ao mercado interno quanto ao externo. Aproximadamente 85% da produção deve ser vendida no Brasil. Em uma primeira etapa das operações a produção deve ficar em 60 mil toneladas anuais de tubos, atingindo 90 mil toneladas com operação em três turnos.

Desde o início do ano a V&M do Brasil fez prospecções no País para análise do negócio. Mas a decisão final foi tomada entre junho e julho, disse Alencar. A expectativa, disseram os executivos, é de que a moderna tecnologia repassada ao Brasil possa render clientes também de outros nichos para a nova empresa, como os que atualmente utilizam tubo de fibra ou de cimento.

No Brasil desde 1952

A V&M do Brasil (ex-Mannesmann) está no País desde 1952, inicialmente para atender à demanda de tubo de aço sem costura da indústria petrolífera. Segundo a empresa, a V&M abastece cerca de 95% da demanda nacional desses tubos. O grupo, com sede em Minas Gerais, atua também na mineração, com a extração e o refino de cerca de 3 milhões de toneladas de minério de ferro por ano em Brumadinho. Também opera a V&M Florestal e mantém 141 mil hectares de florestas de eucalipto.

Atualmente, são vários os projetos em andamento no País que oferecem potencial para a TSA, entre eles, a transposição do Rio São Francisco e o Gasoduto Sudeste-Nordeste para levar o gás da Bacia de Campos, no Rio, ao Nordeste.

Autor(es): Infomet

facebook      twitter      google+

Empresas
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Empresas