Google
Matérias, artigos e empresas relacionados a Manutenção e Suprimentos para a indústria
Esqueci minha senha

Votorantim torna-se a 5ª maior do mundo em zinco

Mais notícias relacionadas a empresas:

Golden apresenta lâmpadas com elevado fator de potência
Linha possibilita usar luz fluorescente em locais grandes com pé direito alto, oferecendo ótima iluminação.


Banco do Brasil facilita compra de equipamentos
BB Crédito Empresa serve para companhias que faturam até R$ 90 milhões anualmente


Honda Brasil investe em energia eólica
Novo parque de energia irá suprir toda a demanda da fábrica de Sumaré (SP) e ...


Com a compra de 99% da usina peruana de Cajarmarquilla, concluída na semana passada, a Votorantim Metais (VM), empresa do grupo Votorantim, tornou-se a quinta maior produtora mundial de zinco. Cajamarquilla pertencia à canadense Teck Cominco e à japonesa Marubeni e custou à Votorantim US$ 210 milhões. A VM assume e operação em 15 de dezembro próximo.

A produção no zinco da VM vai atingir 275 mil toneladas neste ano. Com as 130 mil toneladas de Cajamarquilla, a extração deverá atingir cerca de 405 mil toneladas em 2005. Assim, no ano que vem, a VM responderá por cerca de 4% da produção mundial. A primeira nesse ranking é a Korea Zinc (900 mil toneladas de produção anual), seguida pela australiana Zinfex (670 mil toneladas), a suíça Xstrata (600 mil toneladas) e pela belga Umicore (572 mil toneladas). A produção mundial de zinco atinge cerca de 10 milhões de toneladas por ano. Antes da aquisição, a VM ocupava a décima colocação. Segundo o diretor superintendente da VM, João Bosco, a aquisição vai gerar sinergias entre as operações de zinco no Brasil e no Peru, aumentando a competititividade da empresa. 'A redução dos custos fixos vai aumentar a competitividade a médio e longo prazo'.

Segundo o executivo, a VM passará a contar com apenas uma organização responsável pela aquisição de concentrado de zinco, que será localizada no país andino. A VM importa 43% do concentrado de zinco que consome no Brasil de minas peruanas. Neste ano, serão 224 mil toneladas, no valor de US$ 75 milhões. O minério é usado na unidade de metalurgia do metal de Juiz de Fora (MG).

Para 2004, a VM estima alcançar faturamento de R$ 16,1 bilhões, ante os R$ 14,8 bilhões de 2003. A meta é dobrar essas vendas em cinco anos (de 2001 a 2006) e, para isso, está investindo US$ 350 milhões em aquisições, expansões e otimização de ativos. O faturamento da unidade de negócio zinco cresceu 5% em cinco anos, passando de US$ 152 milhões em 2000 para US$ 341 milhões em 2004.

Com o negócio, o zinco passa a responder por 42% do faturamento da VM e passa a ser o negócio mais rentável da VM, que também produz níquel e aço. Antes da aquisição, respondia por 34% e era superado pelas operações de níquel em rentabilidade. Segundo Bosco, uma equipe da VM está no Peru analisando as sinergias e dentro de três meses poderá detalhar melhor as sinergias que poderão ser criadas.

De acordo com Bosco, a VM pretende investir no desgargalamento da capacidade de produção da unidade. Cerca de 36% das vendas da usina ficam no mercado doméstico. Outros 25% são destinados para a América Latina, 17% para a Ásia e África, 10% para os EUA e 12% para o Japão.

Segundo o executivo, a empresa poderá analisar oportunidades para a compra de outros ativos no Peru. 'A empresa está atenta e vai procurar ativos que possam agregar valor ao grupo. O Peru é um país com vocação mineral, com energia competitiva, e que poderá criar grandes oportunidades para a VM'. A empresa pode estar interessada em uma unidade de mineração de zinco, já que o Peru é um grande fabricante de concentrado de zinco. O país fabrica 1,24 milhão de toneladas de zinco e exporta cerca de 1 milhão de zinco contido em concentrado. Segundo Bosco, a usina adquirida, além de mais moderna que as da VM, possui logística privilegiada que poderá otimizar as exportações da empresa para as Américas, Japão e Ásia.

A usina peruana fica próxima ao Porto de Callao, em Lima, o que facilita as exportações. Cajamarquilla fica a 25 quilômetros de Lima, e a unidade é acessível tanto por ferrovia como por rodovia. Num primeiro momento, disse Bosco, os US$ 210 milhões da compra serão pagos pela VM. 'Mas o Peru tem fontes de financiamentos competitivas e poderemos buscá-las. O Peru tem um risco País menor que o Brasil e por isso o custo de capital é menor'.

Segundo o executivo, os custos de energia são cerca de 15% menores. 'Enquanto no Brasil o MW/hora custa acima de US$ 40, no Peru está em US$ 38, e a tendência é desse preço abaixar', afirmou Bosco, que disse acreditar que os preços do zinco se mantenham no patamar de US$ 1 mil a US$ 1,1 mil a tonelada durante 2005. Construída pelo governo peruano em 1981, a um custo de US$ 309 milhões, Cajamarquilla foi privatizada em 1995 para a Cominco e Marubeni e possui 488 funcionários.

Infomet

facebook      twitter      google+

* campos obrigatórios

Outras notícias relacionadas a empresas:

O que é espionagem industrial

A espionagem industrial é uma tentativa de obter acesso a informações sobre planos da empresa, produtos, clientes ou segredos comerciais. Na maioria dos casos, tal conduta, especialmente quando se trata ...
Minério de ferro e ouro impulsionarão lucro da Vale

O avanço no preço do minério de ferro, que cresceu aproximadamente 23% até março, na comparação com o quarto trimestre de 2012, e o acordo ...
Kia Motors faz recall no Brasil

No dia 1º de maio, tem início o recall dos carros modelos Soul, Carens, Carnival e Sorrento (anos 2007 e 2008) e Sorento (2009 a 2011), da montadora Kia ...
Agrale apresenta caminhões na Agrishow 2013

A Agrale apresenta na Agrishow 2013 dois modelos da sua linha de caminhões, o Agrale 8700 e o 14000. A feira acontece entre os dias 29 de abril e ...
Klüber Lubrication investe na gestão do conhecimento

A subsidiária da América Latina da Klüber Lubrication, especializada em soluções com lubrificantes especiais, definiu a gestão do conhecimento como um dos principais pontos da ...
Fiat ultrapassa 5 milhões de carros flex feitos no Brasil

A Fiat ultrapassou nesta semana a marca de 5 milhões de automóveis e comerciais leves produzidos com a tecnologia Flex Fuel. Atualmente, 99% dos veículos produzidos para ...
Bener Presses lança máquina de corte laser por fibra ótica

Na Feimafe 2013, o Grupo Bener apresentará a máquina de corte laser por fibra óptica modelo BLS-F 3015/2000, da Baykal, fabricante turca representada exclusivamente desde 2011 no Brasil ...

Empresas
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Empresas


Veja na Agenda de Feiras e Congressos
Veja na Agenda de Feiras e Congressos

Google