A Royal Shell holandesa planeja cortar custos a jusante de US $ 1 bilhão e aumentar a produção de óleo em 12% até 2014, informou a companhia nesta última terça-feira, 15 de março, seguindo seu plano de reformulação estratégica anual.

A Shell também planeja investir US $ 100 bilhões nos próximos três anos em upgrades de capacidade e projetos de exploração. Globalmente, a companhia espera reduzir seus custos em bilhões de dólares através de programas de melhoria contínua em 2011.

A grupo do setor petroquímico e de energia estabeleceu uma meta de produção de 3,7 milhões de barris de óleo equivalente por dia em 2014, índice que estaria entre as maiores taxas de crescimento para o setor, disse a empresa.

As projeções de crescimento da empresa baseiam-se no arranque na produção em um poço de gás liquefeito natural no Qatar, no reinício de funcionamento de refinarias de catalisador no Texas e na Holanda, e no arranque previsto da usina de gás, no Qatar. A empresa também está ampliando a capacidade de produção em areias betuminosas do Canadá.

A Shell também planeja perfurar 25 poços de exploração de alto potencial em 2011. Este ano, a empresa vai tomar decisões de investimento final em 10 novos projetos, incluindo o flutuante Prelude GNL, na Austrália, o projeto de desgargalamento da AOSP em areias betuminosas do Canadá e as descobertas de petróleo e gás em águas profundas no Golfo do México e em Malikai, na Malásia.

A empresa tem previsão de mais de 30 novos projetos até 2020. A Shell está a caminho de cumprir suas metas para 2012, incluindo um aumento de 50% a 80% no fluxo de caixa, abrangendo o período de 2009 até 2012, confirmou a companhia.


Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Petróleo & Gás
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Petróleo & Gás