Nissan monitora fábrica de veículos devido à radioatividade no JapãoA Nissan Motor, uma das mais importantes montadoras do mundo, afirmou no último dia 18 de março que iria acompanhar toda a produção se seus veículos feitos no Japão em razão dos riscos de radioatividade, em meio à preocupação internacional sobre os esforços para evitar uma catástrofe nuclear em uma usina atômica atingida pelo tsunami.

"Continuaremos implementando todas as medidas adequadas para garantir ao público que todos os produtos de nossa empresa estejam dentro de padrões de segurança globalmente aceitos", salientou a empresa. Os testes continuarão "até que estamos confiantes de que qualquer risco de contaminação esteja completamente descartado", disse a montadora.

Nissan MotorTentativas estão sendo feitas pelas Forças de Defesa do Japão para encharcar as barras de combustível e evitar uma liberação de radiação calamitosa na central de Fukushima No. 1.

O governo estabeleceu uma zona de exclusão de 20 quilômetros e pediu aos moradores que vivem até uma região de 30 quilômetros da usina para ficarem dentro de suas casas, pois os níveis de radiação já atingiram o pico em algumas áreas nas proximidades.

Os dois desastres naturais, o terremoto e tsunami, destruíram os sistemas de refrigeração de alguns reatores na planta atômica, comprometendo o funcionamento dos reatores e provocando uma série de explosões e incêndios. Autoridades já adotaram medidas para manter as barras de combustível dentro dos reatores em tipos de poças de contenção de água. Se essas barras forem expostas ao ar, elas poderiam se degradar ainda mais e, com isso, haveria a emissão de mais material radioativo na atmosfera.


Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Energia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Energia