Demanda de gás sobe depois de crise no Japão, diz ConocoA ConocoPhillips, grupo do setor energético americano, afirmou nesta quarta-feira, 23 de março, que a procura de gás natural liquefeito deverá subir após a catástrofe do terremoto do Japão, interrompendo as operações em uma usina nuclear no país, considerando que as plantas atômicas são responsáveis por um quarto da geração de energia na região.

O estrategista-chefe da Conoco, Al Hirshberg, disse a analistas que o desastre japonês poderia levar outros países a recuar na construção ou manutenção de usinas nucleares, proporcionando aos produtores de GNL novas oportunidades.

"Os governos do mundo estão começando a repensar alguns de seus planos anteriores para a energia nuclear", disse ele. A Conoco é um grande produtor de GNL, a partir de plantas nos Estados Unidos, Austrália e Catar. De modo geral, segundo Hirshberg, os hidrocarbonetos, principalmente petróleo e gás natural, permaneceriam por muito tempo as principais fontes de energiaem longo prazo, preenchendo 80% da demanda em 2035.

A Conoco está se empenhando ainda mais nos trabalhos de exploração e produção, disse ele. Mas, na sequência do desastre do Japão e do vazamento de óleo maciço em uma plataforma do Golfo do México em abril de 2010, operada pela BP, isso forçou um congelamento temporário das operações de perfuração na área, tornando o ambiente político para a exploração mais difícil, disse ele.

A empresa do setor de petróleo e energia também espera o aumento dos custos de exploração, devido à forte concorrência de acesso aos recursos de várias regiões do mundo.

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Petróleo & Gás
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Petróleo & Gás