Golfo do México: Um ano após o acidente com a sonda HorizonHá exatamente um ano ocorria um dos piores acidentes ambientais da história da indústria de petróleo e gás. Um vazamento intenso de petróleo do fundo do mar, que aconteceu em 20 de abril de 2010, derivou-se da explosão da sonda Deepwater Horizon, operada pela British Petroleum no poço de prospecção de Macondo, no Golfo do México. Onze homens que trabalhavam na plataforma morreram e outras 17 pessoas ficaram feridas.

A Deepwater Horizon, uma sonda semi-submersível construída há nove anos, que servia de unidade móvel de perfuração offshore dinamicamente posicionado, pode operar em águas de até 2.400 metros de profundidade e realizar detalhamentos a 9.100 metros. A sonda foi construída pela empresa sul-coreana Hyundai. A plataforma é de propriedade da Transocean e foi fretada pela de março de 2008 a setembro de 2013. No momento da explosão, a sonda perfurava um poço exploratório em uma profundidade de água de aproximadamente 1.500 metros, no poço de prospecção de Macondo, localizado no Mississipi Canyon, no bloco 252 do Golfo do México, em uma zona econômica exclusiva nos Estados Unidos.

Em 15 julho de 2010 o vazamento foi interrompido pela limitação do poço que jorrava petróleo no mar, depois de ter liberado cerca de 4,9 milhões de barris (779 mil m3) de petróleo bruto. Estima-se que 53 mil barris por dia (8.400 m³ / d) estavam vazando do poço antes de ele receber uma tampa de contenção.

Bob Dudley, atual CEO da BP salientou: "Este dia marca o primeiro aniversário do trágico acidente ocorrido na plataforma de petróleo em águas profundas, a Deepwater Horizon, no Golfo do México. Onze homens morreram no acidente e nossos pensamentos estão com suas famílias, amigos e colegas, especialmente hoje. Também nos lembramos daqueles que foram feridos e afetados por outras formas durante as tarefas de prevenção de acidentes e derramamento de óleo subsequentes. Estamos empenhados em cumprir as nossas obrigações para com aqueles atingidos por esta tragédia, e vamos continuar nosso trabalho a fim de reforçar a segurança e o gerenciamento de riscos através da PA. Mas acima de tudo, hoje, nos lembramos de 11 colegas de trabalho e lamentamos profundamente a perda de suas vidas".

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Petróleo & Gás
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Petróleo & Gás