Importância da engenharia de alimentosA Engenharia de Alimentos é um campo abrangente de tecnologia de alimentos que envolve as diversas disciplinas das ciências da alimentação, agricultura, microbiologia, química e engenharia. Usando métodos de investigação cuidadosa, equipamentos de alta tecnologia e processos sofisticados, a engenharia de processo de alimentos abrange desde a aquisição de matérias-primas alimentares para transformá-las em produtos alimentares até o desenvolvimento de métodos de preservação de alimentos, embalagem e envio dos produtos alimentares a o mercado consumidor. A engenharia de alimentos, especialmente na forma de engenharia genética dos alimentos, é uma área da engenharia em grande ascensão no momento necessária. Isso significa que haverá um forte aumento nos empregos para este setor nos próximos anos.

Na engenharia de alimentos, a produção de alimentos geneticamente modificados, ou de alimentos transgênicos, requer uma série de características determinadas. As pesquisas, nesse sentido, estão se tornando cada vez mais avançadas, especialmente pelo fato de que os alimentos produzidos em laboratório apresentam mais benefícios à saúde humana. Um bom exemplo seria usar ingredientes enriquecidos com vitaminas na fabricação dos inúmeros produtos alimentícios consumidos diariamente pela população, como pães, achocolatados, leite em pó, entre outros produtos. Legumes e frutas também podem ser modificados em laboratório, com base na ciência e na Engenharia de Alimentos.

Esse ramo da engenharia pode ser a solução em termos de fornecimento de maior valor nutricional dos alimentos ofertados à população de modo geral. Mas há, ainda, algumas controvérsias sobre as implicações do consumo de alimentos geneticamente modificados na saúde em longo prazo. O problema pode ser minimizado se os consumidores puderem saber exatamente o que estão comprando e consumindo. Atualmente, essa rotulagem é uma prática comum a muitos países, que exigem os rótulos de alimentos transgênicos.

Produzir alimentos seguros e nutritivos destinados ao consumo humano e animal é um dos principais objetivos da Engenharia de Alimentos. As matérias-primas de alta qualidade são manipuladas e tratadas pelos equipamentos, especiais computadorizados em plantas de processamento de alimentos. O tratamento inclui a extração, a separação e a mistura dos ingredientes para a fabricação de diferentes produtos alimentares.

Alimentos transgênicosTodo o processo de transformação alimentar ocorre sob condições sanitárias adequadas e regulamentadas, com o objetivo de minimizar os riscos de contaminação. Os alimentos processados podem ser submetidos a tratamentos térmicos ou a um processo de congelamento, a fim de preservá-lo por uma vida útil mais longa, principalmente ao chegar às mãos do mercado consumidor. Antes disso, o alimento deve ser devidamente embalado e, para isso, os engenheiros de alimentos também são responsáveis por desenvolver inúmeros tipos de embalagem, com vários materiais, cada uma delas sendo mais apropriada para cada tipo de alimento, cru ou cozido, líquido ou sólido. A escolha e o manuseio correto da embalagem é muito importante, pois mantém os alimentos protegidos e seguros.

Uma boa parte dos resíduos é gerada como resultado dos vários processos em engenharia de alimentos. A gestão destes resíduos de forma eficiente e respeitadora do ambiente também é um aspecto importante da engenharia de alimentos. Outras preocupações relacionadas com este domínio são as indústrias. Os pesquisadores de engenharia de alimentos devem manter-se ocupados no aperfeiçoamento de produtos farmacêuticos e produtos alimentares nutritivos que acabarão por beneficiar os consumidores.

Seguir uma carreira nesse setor requer dos futuros engenheiros de alimentos, ou engenheiros de produtos alimentícios, cinco anos de estudos e mais algumas especializações, que são importantes em termos de formação de currículo para disputar um mercado de trabalho tão promissor, mas também muito competitivo. Além de conhecimentos em matemática, química, física, biologia, agricultura, tecnologia e nanotecnologia, é exigido do aluno a aplicação em matérias como bioquímica e termodinâmica. Para quem deseja atuar nesse campo, a agroindústria e a indústria alimentícia oferecem grandes oportunidades, com salários iniciais de R$ 3.060,00, por seis horas diárias de trabalho, segundo o Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura do Estado de São Paulo (CREA-SP). O profissional formado em Engenharia de Alimentos pode atuar nas áreas de automação de processos, pesquisa e desenvolvimento, produção, controle de qualidade, projetos agroindustriais e tratamento de resíduos.

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Carreira Industrial
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Carreira Industrial