Google
Matérias, artigos e empresas relacionados a Manutenção e Suprimentos para a indústria
Esqueci minha senha

Com impulso nos lucros, montadoras europeias buscam expansão

As montadoras da Europa terão de enfrentar a crescente concorrência dos rivais chineses, que tem esperanças em conquistar o mercado de automóveis soberanamente.

Mais notícias relacionadas a empresas:

Golden apresenta lâmpadas com elevado fator de potência
Linha possibilita usar luz fluorescente em locais grandes com pé direito alto, oferecendo ótima iluminação.


Banco do Brasil facilita compra de equipamentos
BB Crédito Empresa serve para companhias que faturam até R$ 90 milhões anualmente


Honda Brasil investe em energia eólica
Novo parque de energia irá suprir toda a demanda da fábrica de Sumaré (SP) e ...


Os fabricantes de automóveis da Europa estão tendo de enfrentar a crescente concorrência dos rivais na China e, em resposta, estão expandindo seus negócios agressivamente, comprando montadoras estrangeiras, adquirindo tecnologia e criando fábricas e redes de empresas concessionárias em toda a Ásia, Oriente Médio e Europa Oriental.

Dois anos depois de uma recessão econômica mundial, as montadoras europeias se recuperaram e esperam ampliar ainda mais os lucros para os próximos anos, como é o caso da montadora alemã Volkswagen, que hoje tem o objetivo de ser a líder da indústria no setor automotivo, e a Fiat, que busca esculpir sua marca global.

Livres de suas obrigações de reembolso dos auxílios estatais e aproveitando, as montadoras renovaram suas perspectivas para o resto do ano fiscal de 2011. A Volkswagen alemã reportou um crescimento triplicado nos lucros nos três primeiros meses de 2011. O montante de 1,71 bilhões de euros (EUA $ 2,5 bilhões) foi alcançado com a venda de dois milhões de carros, um novo marco para a maior montadora da Europa. Só para se ter idéia, em 2010, a empresa lucrou 473 bilhões de euros.

O diretor de Finanças Dieter Poetschda VW disse que a alta nos lucros impulsionou o grupo a ultrapassar a General Motors e a Toyota e se tornar a montadora líder global em 2018.

Com relação a 2011, o presidente Martin Winterkorn, que alavancou as fortunas da montadora Volkswagen desde que assumiu, em 2007, disse: "A Volkswagen posicionou-se no mercado de forma muito satisfatória e bem rapidamente em 2010, e é desta forma que pretendemos nos manter este ano".

A montadora Daimler, parceira da VW, também foi bastante beneficiada no primeiro trimestre do ano de 2011 em relação ao seu lucro líquido, graças à demanda crescente na China, onde a classe média em ascensão começa a adquirir os carros de luxo Mercedes-Benz e os caminhões pesados produzidos pela montadora, atendendo às exigências de construção. A montadora informou que o lucro líquido saltou para 1,18 bilhão de euros (US$ 1,75 bilhão) no primeiro trimestre, em comparação com os 612 milhões de euros no mesmo período de 2010.

Um dos mais notáveis players no setor automotivo, a Fiat deu mais um passo para se juntar às principais montadoras do mundo em um acordo de US $ 1,3 bilhão e aumentar sua participação na unidade da Chrysler nos EUA para 46%.

A montadora, mais conhecida por suas marcas de carros esportivos, Ferrari e Maserati, em grande parte, voltadas para o mercado interno e para um nicho de mercado muito específico, não se furtou em exibir suas ambições, declaradas pelo CEO da companhia, Sergio Marchionne.

Fiat assumiu a gestão da Chrysler depois que saiu da concordata em 2009, contando, atualmente, com participação de 30%. A Chrysler sofreu uma implosão de vendas de automóveis nos Estados Unidos. A Fiat deu a Chrysler o acesso à tão necessária tecnologia de carros pequenos e, em troca, a Chrysler ofereceu algumas redes de distribuição que faltavam ao fabricante italiano, principalmente nos Estados Unidos.

Nos últimos meses, Marchionne também sugeriu mudar a sede da Fiat de Turim para Detroit, provocando a ira dos políticos da Itália e dos sindicatos. Embora os fabricantes de automóveis se mostrem otimistas em relação aos seus negócios, alguns problemas ainda atormentam o setor, incluindo uma potencial escassez de componentes críticos depois do devastador terremoto e do tsunami no Japão em março deste ano, destruindo as empresas japonesas produtoras de componentes.


Editora

facebook      twitter      google+

* campos obrigatórios

Outras notícias relacionadas a empresas:

O que é espionagem industrial

A espionagem industrial é uma tentativa de obter acesso a informações sobre planos da empresa, produtos, clientes ou segredos comerciais. Na maioria dos casos, tal conduta, especialmente quando se trata ...
Minério de ferro e ouro impulsionarão lucro da Vale

O avanço no preço do minério de ferro, que cresceu aproximadamente 23% até março, na comparação com o quarto trimestre de 2012, e o acordo ...
Kia Motors faz recall no Brasil

No dia 1º de maio, tem início o recall dos carros modelos Soul, Carens, Carnival e Sorrento (anos 2007 e 2008) e Sorento (2009 a 2011), da montadora Kia ...
Agrale apresenta caminhões na Agrishow 2013

A Agrale apresenta na Agrishow 2013 dois modelos da sua linha de caminhões, o Agrale 8700 e o 14000. A feira acontece entre os dias 29 de abril e ...
Klüber Lubrication investe na gestão do conhecimento

A subsidiária da América Latina da Klüber Lubrication, especializada em soluções com lubrificantes especiais, definiu a gestão do conhecimento como um dos principais pontos da ...
Fiat ultrapassa 5 milhões de carros flex feitos no Brasil

A Fiat ultrapassou nesta semana a marca de 5 milhões de automóveis e comerciais leves produzidos com a tecnologia Flex Fuel. Atualmente, 99% dos veículos produzidos para ...
Bener Presses lança máquina de corte laser por fibra ótica

Na Feimafe 2013, o Grupo Bener apresentará a máquina de corte laser por fibra óptica modelo BLS-F 3015/2000, da Baykal, fabricante turca representada exclusivamente desde 2011 no Brasil ...

Empresas
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Empresas


Veja na Agenda de Feiras e Congressos
Veja na Agenda de Feiras e Congressos

Google