Aditivos em óleos lubrificantesOs aditivos em óleos lubrificantes são substâncias formuladas para a melhoria das propriedades físicas e químicas de antifricção dos óleos de base (minerais, sintéticos, vegetais ou animais), o que resulta no aumento do desempenho do lubrificante e estende a vida útil do equipamento.

A exata combinação de diferentes aditivos e suas quantidades são determinadas pelo tipo de lubrificante (óleos de motor, óleos para engrenagens, óleos hidráulicos, fluidos de corte, óleos para compressores, entre outros) e as condições específicas de funcionamento (temperatura, cargas, materiais das peças de máquinas, meio ambiente).

Abaixo, estão alguns elementos considerados aditivos de lubrificantes.

Modificadores de fricção
Os modificadores de fricção reduzem o coeficiente de atrito, resultando em menor consumo de combustível. A estrutura cristalina da maioria dos modificadores de fricção é constituída de plaquetas moleculares (camadas), que podem deslizar facilmente umas sobre as outras.

Os seguintes lubrificantes sólidos são utilizados como modificadores de fricção:

  • Grafite;
  • Dissulfeto de molibdênio;
  • Nitreto de boro (BN);
  • Dissulfeto de tungstênio (WS 2);
  • Politetrafluoretileno (PTFE).

Aditivos antidesgaste

Os aditivos antidesgaste evitam o contato direto entre metais e as partes da máquina, quando a película de óleo que se forma entre os componentes. O mecanismo dos produtos aditivos antidesgaste funciona da seguinte maneira: o aditivo reage com o metal na superfície da peça e forma uma película, que pode deslizar sobre a superfície de fricção.

  • Os seguintes suprimentos são utilizados como aditivos antidesgaste:
  • Ditiofosfato de zinco (ZDP);
  • Ditiofosfato de zinco (ZDDP);
  • Tricresylphosphate (TCP).

Aditivos de extrema pressão (EP)

Os aditivos de extrema pressão (EP) impedem as condições de pressão causadas pelo contato metal-metal diretamente entre as partes sob altas cargas. O mecanismo de aditivos EP é similar à do aditivo antidesgaste: a substância aditiva forma um revestimento na superfície da peça. Esta camada protege a superfície a partir de um ponto de contato direto com outro, diminuindo o desgaste.

Os seguintes materiais utilizados como aditivos de extrema pressão (EP) são:

  • Parafinas cloradas;
  • Gorduras sulfurados;
  • Ésteres;
  • Ditiofosfato de zinco (ZDDP);
  • Dissulfeto de molibdênio.

Aditivos antidesgaste Inibidores de corrosão e ferrugem

Os inibidores de corrosão e ferrugem formam um filme, servindo de barreira, na superfície do substrato, reduzindo, assim, a taxa de corrosão. Os inibidores também formam uma película protetora contra a ação da água, do oxigênio e de outras substâncias quimicamente ativas.

Os seguintes suprimentos usados como inibidores de ferrugem e corrosão são:

  • Compostos alcalinos;
  • Ácidos orgânicos;
  • Ésteres;
  • Derivados de aminoácidos.

Antioxidantes

Os óleos minerais reagem com o oxigênio formando os ácidos orgânicos. Os produtos da reação de oxidação provocam o aumento da viscosidade do óleo, além de formação de borra de verniz e a corrosão das partes metálicas, bem como de espuma.
Os antioxidantes inibem o processo de oxidação dos óleos, por isso, a maioria dos lubrificantes contém anti-oxidantes.

Detergentes

Os detergentes neutralizam os ácidos fortes presentes no lubrificante (por exemplo, ácido sulfúrico e ácido nítrico produzidos em motores de combustão interna, como resultado do processo de combustão) e retiram os produtos de neutralização da superfície do metal. Os produtos com função de detergentes também formam uma película sobre a superfície da peça a previnem a deposição de camadas de vernizes. Os detergentes são comumente adicionados aos óleos de motor.

Dispersantes

Os dispersantes mantêm as partículas presentes em um lubrificante de uma forma dispersa (finamente divididas e dispersas uniformemente em todo o petróleo).

Agentes antiespuma

A agitação e a aeração de um óleo lubrificante que ocorrem em determinadas aplicações (óleos de motor, óleos para engrenagens , óleos de compressor ) podem resultar na formação de bolhas de ar no óleo - a formação de espuma. Essa formação de espuma não só aumenta a oxidação do óleo, mas também diminui o efeito da lubrificação causando a falha do óleo. Os agentes dimetilsiloxanos são comumente usados como agente antiespuma para lubrificantes.


Vocabulário de lubrificação

o que é desgaste
o que é viscosidade
o que é superlubrificação
petrolíferos refinados
lubrificante sintético

O que é desgaste

Os lubrificantes são utilizados para reduzir o desgaste, que é a remoção gradual de material sobre uma superfície causada pelo contato entre superfícies mais ásperas.

O que é viscosidade

É a medição de resistência de fluxo de uma substância. A viscosidade é um dos fatores mais importantes a considerar ao selecionar um lubrificante.

O que é superlubrificação

A superlubrificação é o processo de aplicação em excesso de lubrificante em um determinado componente da máquina. A superlubrificação pode levar ao mau funcionamento da máquina ou de alguns de seus componentes.

Petrolíferos refinados

Petróleo bruto que foi processado e purificado. Óleos minerais e de base são feitos de petróleo refinado.

Lubrificante sintético

Um lubrificante fabricado a partir de produtos químicos ou aditivos não encontrados na natureza.

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Suprimentos Industriais
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Suprimentos Industriais