A expectativa de aumento do consumo de aço inoxidável no mercado doméstico está levando a Acesita a tocar um projeto para aumentar sua capacidade de laminação a frio. O novo módulo deverá ser de 150 mil toneladas e poderá entrar em operação por volta de 2008 a 2009, como previu seu presidente-executivo, Luiz Aníbal de Lima Fernandes. O investimento estimado será de US$ 200 milhões.

O mercado brasileiro este ano, segundo relatou, vai chegar a consumir 200 mil toneladas de aço inox, ante uma capacidade de laminação a frio de 300 mil toneladas. Se a economia continuar crescendo entre 4% a 5% , isso indica um aumento de consumo de aço inox entre 8% a 10% ao ano, nos cálculos de Fernandes. Ele contou que a Acesita vem trabalhando para desenvolver outros mercados para o aço inox, como o de vagões, tubos de inox para uso da indústria açucareira, que substituem os tubos de aço carbono.

Segundo seu relato, a Acesita este ano deve fechar com uma dívida líquida de US$ 350 milhões igual a sua geração de caixa. Com isso, a empresa deixou de ser uma preocupação para a companhia.

Para 2005, a grande expectativa na empresa é a mudança societária que deverá acontecer ainda no primeiro semestre, como confirmou seu presidente executivo. A Arcelor deverá se tornar a controladora da companhia por conta da compra que vai fazer das ações dos fundos de pensão, sócios da Acesita. 'Imaginamos que isso vai acontecer ao longo do primeiro semestre. A Arcelor deve acelerar a mudança a partir do início desse ano', destacou.

Autor(es): Infomet

facebook      twitter      google+

Empresas
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Empresas