O combustível oxigenado nada mais é do que o combustível que possui um composto químico que contém oxigênio. O oxigênio é usado para ajudar na queima de combustível mais eficiente e reduzir alguns tipos de poluição atmosférica. Em muitos casos, acredita-se que o uso deste tipo de combustível consiga reduzir drasticamente a geração de poluição atmosférica nos grandes centros urbanos, bem como amenizar as emissões de monóxido de carbono ao ambiente.

O tipo de combustível oxigenado permite que a gasolina dos veículos se queime por completo mais rapidamente. Porque mais do que o combustível está queimando, há menos produtos químicos nocivos para a atmosfera. Além de provocar uma queima mais limpa, o combustível oxigenado também auxilia a diminuir a quantidade de consumo de combustíveis fósseis não-renováveis .

O combustível oxigenado conta com diferentes aditivos que podem ser adicionados a fim de produzir o efeito desejado no combustível. Por muitos anos, o MTBE foi um aditivo comum integrado ao combustível oxigenado. No entanto, anos depois, estudos mostraram que o MTBE poderia ser prejudicial caso entrasse em contato com águas subterrâneas, e desde então tem sido banido como aditivo da gasolina em alguns países.

Em anos mais recentes, o etanol tornou-se o aditivo mais escolhido para a produção de combustível oxigenado em muitos lugares ao redor do mundo. Nos Estados Unidos, o etanol é produzido principalmente a partir do milho. No Brasil, a cultura da cana de açúcar possibilita a produção de etanol como forma de produzir energia. Nos Estados Unidos, a maioria dos veículos é projetada para que possa funcionar com uma mistura de 10% de etanol à gasolina normal, sem problemas. No entanto, alguns automóveis só são capazes de funcionar com uma mistura de 85% de etanol.

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Energia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Energia