Nesta sexta-feira, a montadora japonesa Toyota, uma das maiores empresas do setor automotivo do mundo, afirmou que prevê a redução de 31% no lucro líquido para este ano fiscal, um prejuízo de US $ 3,5 bilhões em decorrência do terremoto e do tsunami que afetaram a produção na região em março deste ano, e também por causa do fortalecimento da moeda japonesa, o iene.

A montadora disse esperar uma fase de recuperação no segundo semestre em relação aos problemas de abastecimento proporcionados pelo terremoto, mas advertiu que a força atual da moeda local torna a produção interna muito onerosa.

Toyota havia atrasado seu planejamento com todas as estimativas para poder avaliar a escala completa do impacto do terremoto sobre a produção e as vendas, e é a primeiro das grandes montadoras do Japão a ofertar uma previsão de ganhos e perdas.

O terremoto de 9,0 pontos na escala Richter e o consequente tsunami em 11 de março deixou milhares de mortos e desaparecidos, além de afetar a produção nas indústrias pelo comprometimento da cadeia de abastecimento e acometer as instalações geradoras de eletricidade, incluindo uma usina nuclear em Fukushima.

Em meio a problemas de abastecimento de peças, componentes eletrônicos e até de alimentos e água, a empresa anunciou interrupções na produção para o mercado interno e para o exterior por causa da crise, com o fechamento temporário de suas fábricas. A previsão é de que produção se recupere totalmente em novembro deste ano. O desastre - o que contribuiu para uma queda de 77% do lucro líquido da Toyota no quarto trimestre - reduzirá sua produção mundial em 450.000 unidades, disse o vice-presidente executivo Satoshi Ozawa.

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Empresas
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Empresas