Um advogado chinês está processando a gigante estatal chinesa de energia CNOOC e sua parceira americana, a companhia de petróleo e gás ConocoPhillips, pelo grande derramamento de óleo fora da costa nordeste da China, em meio a raiva do público sobre a poluição resultante, informou a mídia estatal nesta quarta-feira, 17.

Mais de 2.100 barris de óleo e lama à base de óleo - uma substância utilizada como um lubrificante na perfuração submarina – vazaram de duas plataformas em Bohai Bay, propriedade conjunta da ConocoPhillips e da CNOOC da China.

O advogado Jia Fangyi entrou com a ação privada contra as duas empresas em três tribunais na China, exigindo que as companhias de energia e petróleo "parem imediatamente de poluir o meio ambiente e limpem a poluição gerada pelas operações de exploração de petróleo e gás na região".

Ele também pressionou as empresas a criarem um fundo de compensação de US $ 1,6 bilhão para pagar os danos causados pela poluição e restaurar o sistema ecológico da área. Pescadores locais culparam o vazamento pela perda de grande parte de suas pescas sazonais, enquanto grupos ambientalistas assinaram uma carta aberta à ConocoPhillips pedindo esforços mais rápidos e transparentes na remoção da camada de óleo.

Enquanto isso, Jia também planeja levar a Administração Estatal Oceânica ao tribunal por "insensibilidade administrativa", porque atrasou a divulgação do relatório sobre o derramamento de óleo ao público durante um mês inteiro, segundo o comunicado.

O relatório da Administração Estatal Oceânica também não citou o nome da CNOOC - que tem uma participação majoritária no projeto de exploração de petróleo e mantém boa parte dos lucros provenientes da produção petrolífera - como uma das partes responsável pelo vazamento, de acordo com o advogado Jia Fangyi.

A SOA, que supervisiona e gerencia a área marítima da China, na terça-feira, disse que pretende processar a ConocoPhillips após o derrame que polui praias e matou a vida marinha na área. No entanto, a SOA não fez menção à CNOOC.

Ambas as empresas já se desculparam pelo incidente, e a ConocoPhillips, na semana passada disse que esperava retirar todo o óleo até o final deste mês de agosto.

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Petróleo & Gás
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Petróleo & Gás