A subsidiária da ConocoPhillips, com sede em Houston, afirmou nesta sexta-feira que mais de 85% do óleo derramado na Baía de Bohai, na China, foram retirados, e prometeu terminar a limpeza até o final deste mês.

O vazamento de petróleo no campo petrolífero de Penglai 19-3, que é o maior campo de petróleo offshore, começou em junho e poluiu 840 quilômetros quadrados de água do mar. A ConocoPhilips tem uma participação de 49% no campo petrolífero e atua como o operador principal, enquanto a companhia estatal chinesa de petróleo e gás, CNOOC, tem participação de 51%.

As autoridades marítimas tinham manifestado uma crescente frustração com o fracasso da ConocoPhillips China para conter o derramamento de óleo, que já dura dois meses e que se espalhou por todo o litoral .

A petrolífera ConocoPhillips China disse em comunicado que acredita que o vazamento na plataforma B do campo de petróleo Penglai 19-3 tinha naturalmente cessado. A empresa também está executando planos para garantir que o problema seja resolvido pelo bombeamento de cimento em vários pontos ao longo da fissura que originou o vazamento, disse a empresa em seu site (www.conocophillips.com.cn).

A empresa salientou que não encontrou provas de danos à vida marinha, mas acrescentou que continua trabalhando em conjunto com o governo e com especialistas internacionais para confirmar se houve qualquer efeito sobre a vida marinha ou sobre as atividades de pesca.

Nesta última quinta-feira, um funcionário da agência de notícias Xinhua esclareceu que os pescadores em Hebei, norte da China, estavam se preparando para processar a ConocoPhillips, porque eles acreditavam que os vazamentos de petróleo na baía de Bohai eram os causadores da morte de um grande número de peixes. Estima-se que as perdas econômicas dos pescadores estão entre US $ 23,5 milhões e US$ 26,6 milhões.

A SOA (Administração de Estado Oceânico), um órgão administrativo subordinado ao Ministério da Terra e Recursos, responsável pela supervisão e gestão da área de mar na República Popular da China e proteção ambiental do litoral, anunciou esta semana que não havia determinado a compensação pos danos ecológicos causados pelo derramamento de óleo, acrescentando que pretende processar os responsáveis.

A ConocoPhillips está se preparando para entregar à autoridade marítima da China um relatório sobre as medidas tomadas para enfrentar esses incidentes e para revisar os planos futuros. A empresa também irá manter o público informado sobre os progressos de contenção do vazamento.

A companhia de petróleo e gás americana enfatizou que, com a aprovação da SOA, já havia retomado as operações em alguns poços de Bohai Bay, que tiveram suas operações interrompidas depois do derramamento de óleo.

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Petróleo & Gás
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Petróleo & Gás