A Agência Moody rebaixou, nesta quarta-feira, a fabricante de automóveis Fiat, de Ba1 para Ba2, por temores de que a fusão da Fiat com a Chrysler poderia sobrecarregar a montadora com dívidas.

A Moody disse que a perspectiva é negativa, o que significa que a montadora italiana com base em Turim, na Itália, enfrenta um outro possível rebaixamento num futuro próximo.

A agência de classificação disse que rebaixou a Fiat porque a integração com a empresa Chrysler poderia ”resultar em duas empresas que têm de apoiar-se mutuamente em caso de dificuldades financeiras".

A agência de ratings também apontou para os riscos de negócios da Fiat, incluindo "taxas de renovação do modelo relativamente pouco frequentes, o que é uma situação constrangedora em relação à posição competitiva do grupo" na Europa, disse.

A agência tinha colocado a Fiat sob vigilância a cerca de um possível rebaixamento em 26 de abril, após o anúncio de um acordo que permitia ao grupo italiano assumir o controle de 46% da Chrysler. O grupo italiano continuou a assumir o controle da marca dos EUA e agora controla 53,5% das ações.

A montadora italiana Fiat assumiu a gerência da Chrysler, em junho de 2009. A montadora italiana teve uma participação de 20% em troca de compartilhamento de tecnologia e fornecimento confiável de liderança, pois a fabricante americana emergiu de uma falência apoiada pelo governo.

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Empresas
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Empresas