A gigante britânica Rexam, maior fabricante mundial de latas para bebidas (cervejas e refrigerantes), dona de 64% do mercado brasileiro, vai investir US$ 50 milhões para construir sua sexta fábrica de latas no Brasil. A nova unidade, capaz de produzir entre 700 milhões e 1 bilhão de latas por ano, ficará em Cuiabá, capital do Mato Grosso, e será a segunda fábrica da Rexam na região Centro-Oeste. A primeira foi construída em Brasília, ainda na época de Latasa, e produz 1,2 bilhão de latas por ano.

No fim de 2003, a Rexam adquiriu o controle da Latasa que estava em mãos do Bradesco, Alcoa e JP Morgan, em uma operação de mais de US$ 400 milhões. Com isso, tornou-se a maior fabricantes do país de latas de alumínio.

O presidente Rexam Beverage Can South America, André Balbi, disse ao Valor que a nova fábrica ficará pronta em meados de 2006 e que sua construção é uma resposta ao rápido crescimento da demanda na região Centro-Oeste. 'O Centro-Oeste está crescendo muito por conta da expansão da fronteira agrícola', disse. Segundo Balbi, a expectativa da empresa era de que a plena capacidade da fábrica de Brasília só fosse atingida em 2006, mas ela acabou sendo alcançada no fim do ano passado, exigindo a construção de nova unidade na região.

Hoje a Rexam possui no Brasil fábricas de latas em Recife-PE (a maior de todas, com capacidade para 1,2 bilhão de latas e 8,2 bilhões de tampas de alumínio por ano), em Brasília, no Rio de Janeiro (capital), em Minas Gerais (município de Extrema) e no Rio Grande do Sul (Águas Claras). A empresa tem ainda fábricas de latas em Santiago (Chile) e em Buenos Aires (Argentina). No total, a Rexam produz cerca de 7 bilhões de latas por ano na América do Sul.

Segundo Balbi, a estratégia da empresa é a de se instalar em um raio de 150 quilômetros de distância de suas clientes, as fabricantes de bebidas. Essa estratégia se justifica pelo fato de que a lata de alumínio tem volume, mas pouco peso. Isso onera os custos de transporte e faz com que a logística seja decisiva para viabilizar a lucratividade do empreendimento. A proximidade do cliente é tão importante para a indústria de latas que a exportação do produto é muito pequena no Brasil, dado o elevado custo de transporte.

Em julho do ano passado, a empresa fechou a fábrica de Jacareí (SP), encerrando uma produção anual de 1,2 bilhão de latas por ano. A produção da fábrica paulista foi transferida para as outras unidades existentes no país. A Latasa já havia fechado, por razões logísticas, a sua fábrica pioneira, instalada no início da década de 90 em Pouso Alegre (MG). Além da Rexam, os fabricantes de latas de alumínio no Brasil são a Crown Embalagens e a Latapack-Ball Embalagens.

Autor(es): Valor

facebook      twitter      google+

Empresas
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Empresas