China é a maior beneficiária do petróleo do IraqueA China é a maior beneficiária do petróleo do Iraque, vencendo até mesmo os países grandes, segundo analistas internacionais.
“Companhias chinesas apoiadas pelo governo levam muitas vantagens em cima das empresas do setor de petróleo e gás (CIOs) e também têm maior poder de barganha”, diz Gal Luft, editor executivo do Instituto de Análise de Segurança Global. “Não se pode esquecer que essas empresas são menos aversas a riscos, e por isso podem assumir projetos que as CIOs não querem”.
Peter Beutel, analista da Cameron Hanover, afirma que “a China tem o dinheiro e certamente é uma força crescente. O país pode oferecer ajuda política, tecnológica e até militar, o que nenhum dos grandes pode. Veja a Líbia, por exemplo. A China pode dar armas e proteção política para o novo governo, a França também, mas os grandes países não. Aí está a maior diferença”.
Além de dinheiro para investimentos em petróleo e gás nos países em desenvolvimento, a China pode, aos olhos dos especialistas, oferecer incentivos diferenciados. Os governos da China e do Iraque assinaram dois acordos de cooperação econômica e de treinamento em julho de 2011.
A nação chinesa está disposta a realizar investimentos significativos em infraestrutura - no caso do Iraque, a construção de dutos de petróleo. A empresa de petróleo Petrochina, por exemplo, está nos estágios iniciais de um estudo para construir dois dutos: uma para petróleo do Iraque para a China e outro de gás do Irã para a China.
“Por outro lado, empresas como a petrolífera americana Exxon precisam satisfazer os acionistas e não podem simplesmente investir recursos sem pensar nos retornos”, diz Allen Good, analista da Morningstar.
Outra vantagem das empresas chinesas é que elas – todas estatais – se unem para ganhar licitações. “Quando poucas companhias do mesmo setor concorrem juntas, isso dá a elas uma enorme vantagem. Não me surpreenderia em descobrir que os preços são coordenados entre elas”, diz Luft, do Instituto de Análise de Segurança Global.
China, a maior beneficiária do petróleo do IraqueAlguns especialistas dizem que o objetivo maior da China é repatriar o petróleo para apoiar sua crescente demanda de energia. Por conta disso, as companhias chinesas de petróleo e suas subsidiárias estão dispostas a aceitar as condições restritas oferecidas pelo Iraque.
A política fiscal do Iraque está entre as mais rígidas do mundo: o governo fica com 90% a 95% dos lucros. Nos maiores poços de petróleo, as empresas ganham US$ 1,50 a US$ 2,00 o barril e o resto fica para o governo iraquiano.
Além disso, a produção total de petróleo é conduzida para um duto federal e vendida por uma entidade que pertence ao governo iraquiano. Assim, é difícil dividir a produção entre os barris de petróleo que vão para a China e os que vão para o resto do mundo. 

Autor(es):

facebook      twitter      google+

Petróleo & Gás
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Petróleo & Gás