o que é efeito chicoteEfeito chicote, ou bullwhip effect, é a tendência dinâmica de aumento na demanda pelo consumo de um material ou produto com baixa disponibilidade, fazendo com que as pessoas comprem mais do que precisam num futuro próximo. Esse fenômeno de logística causa impacto negativo em uma cadeia de abastecimento, já que a variação da procura desregulariza a estabilidade dos pedidos recebidos. 

Outra forma de definir o efeito chicote é como a tendência da variabilidade das taxas de encomendas em aumentar, à medida que passam os escalões de uma cadeia de fornecimento para os produtores e fornecedores de matérias-primas.

A essência do efeito chicote é que os pedidos para os fornecedores tendem a variar mais do que as vendas para o consumidor. Quanto mais níveis existem dentro da cadeia de abastecimento, mais complexa a questão. o que é efeito chicote

O termo ficou conhecido como estratégia de logística executiva da empresa americana Procter & Gamble, quando a companhia estudou a variação de demanda das fraldas descartáveis Pampers. Este é um bom exemplo de um produto com baixa variação de demanda de consumo. A P&G observou que os distribuidores encomendavam quantidades de fraldas bem maiores do que a demanda de varejo, mesmo que a demanda fosse relativamente uniforme nos primeiros anos de vida de um bebê. No caso da P&G, uma pequena variação nos pedidos dos consumidores provocava uma amplificação da diferença ao longo da cadeia, desde os fabricantes até os atacadistas. 

Há várias medidas do efeito chicote propostos na literatura sobre logística. A medida mais comum é a relação entre a variação da taxa para a variância da taxa de demanda. Outra medida (prática) são índices do coeficiente de variação (COV = variância / média) de ordem e as taxas de demanda. Esta é uma medida útil quando há vários produtos passando por várias rotas para o mercado e alguma comparação é necessária em diferentes produtos, as empresas ou as rotas para o mercado.

Causas do efeito chicote: 
- variações na procura: quando um comerciante percebe um aumento nas vendas, ele aumenta o volume de pedidos para melhorar seu estoque. Esse crescimento nos pedidos é influenciado pelo aumento na procura e diminuição dos níveis de estoque, que não se traduz em vendas para o consumidor. 
- em situações de racionamento, com expectativa de falta de produtos, os agentes da cadeia compram mais do que precisam, aumentando o efeito chicote e amplificando o grau de variação das vendas ao longo da distribuição, dificultando para o fabricante determinar a real procura de seu produto
- lotes e compra: empresas tendem a agrupar pedidos para diminuir custos de processamento de ordens de compra e transporte. Esses custos irregulares também influem na cadeia
- variações de preço ou promoções esporádicas resultam em compras de grandes quantidades pelo consumidor, levando à formação de estoque. Quando se retoma a situação normal de venda, os clientes deixam de comprar e o estoque encalha. 
 
Como controlar o efeito chicote
- agilize o tratamento dos pedidos
- melhore a qualidade das informações na cadeia de acesso
- ajuste os níveis de estoque hoje e no futuro
- processe as variações na procura ao longo do tempo
- em época de racionamento, reveja cláusulas de contrato entre fabricante, distribuidor e varejista
- forme lotes de compra e produção 
- para o fornecedor: adote políticas contínuas ao invés de descontos pontuais
- reduza a incerteza dentro da cadeia de abastecimento
- forme parcerias estratégicas para compartilhar informações e decisões

Autor(es):

facebook      twitter      google+

Armazenagem & Logística
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Armazenagem & Logística