quais são as vantagens da distribuição colaborativaNo varejo, a concorrência é acirrada entre pequenos e médios fabricantes. Mas muitos não percebem que poderiam reduzir custos de armazenagem e logística apenas reconhecendo e executando algumas estratégias compartilhadas que colocam envios e fretamentos como um ponto de interesse de todos aqueles que estão inseridos na cadeia de suprimentos. Quais são as vantagens da distribuição colaborativa?


O conceito de distribuição colaborativa impulsiona a carga como uma estratégia da cadeia de suprimentos, e não apenas uma tática de transporte. Significa combinar diferentes cargas com o mesmo destino para aumentar a eficiência do transporte. Mas tudo começa lá no topo da cadeia de suprimentos. 

Na prática, os fabricantes armazenam seus produtos com o objetivo de coordenar entregas com outros envios para o mesmo destino final. Então, entregas de diferentes fornecedores tomam as mesmas rotas. Empresas terceirizadas de fretamento (3PL, ou third-party logistics) são os responsáveis por fazer o processo correr como planejado. 

O modelo de logística terceirizada é ideal para produtores de bens de consumo de pequeno porte (ou CPG, em inglês, Consumer Product Goods), que fornecem para diversos pontos de venda. Muitas companhias de bens de consumo de pequeno porte usam armazéns particulares ou armazéns terceirizados para abastecer lojas de varejo conforme a demanda. No entanto, raramente há volume suficiente para um carregamento completo e os fabricantes são obrigados a adotar uma carga menor do que a capacidade do carregamento (ou LTL, em inglês, Less than Truckload), o que pode sair caro. 

Vantagens da distribuição colaborativaEm um cenário de distribuição colaborativa, a competição entre os fabricantes de bens de consumo começa e termina nas prateleiras. Eles dividem o caminhão para o transporte e o espaço de armazenagem, já que grande parte dos produtos vai para a mesma loja ou depósito do varejista. O resultado é economia de tempo e dinheiro para todos. Carregadores e transportadores racionalizam os custos de frete, clientes finais podem equacionar melhor o trabalho para descarregar caminhões cheios de mercadoria, além de benefícios para o meio ambiente, já que a energia, a poluição e o congestionamento gerado pelo transporte é substancialmente reduzido. 

O mercado de oportunidade para as empresas lucrarem com o modelo colaborativo de distribuição está em alta e pode gerar desde economia em transporte e menor falta no estoque (stockout) até a redução do trânsito nas estradas e diminuição da emissão de carbono. Mas, para isso acontecer, as empresas precisam mudar a mentalidade e reorganizar suas cadeias de suprimentos para colaborar com a concorrência. 

A distribuição colaborativa exige a participação ativa dos fabricantes, das empresas terceirizadas e dos varejistas. São estes últimos, aliás, que podem avaliar as melhorias obtidas com a adoção desse modelo de logística colaborativa. Como os lojistas tendem a controlar o transporte de entrada para ter frete mais barato e menos poluente, existe um incentivo crescente para que fornecedores também trabalhem desta forma. 
 
Desempenhando o papel

A distribuição colaborativa funciona porque existe uma visão compartilhada entre as partes interessadas da cadeia de suprimentos – desde os varejistas até transporte, armazenagem e logística até os fornecedores e a indústria. Cada momento da vida útil de um produto tem uma função específica. Aqui estão algumas maneiras para construir e manter uma rede colaborativa de distribuição.
 
Os fabricantes devem examinar suas cadeias de abastecimento e identificar oportunidades para aplicar a colaboração de distribuição ou infraestrutura compartilhada, analisando o inventário de outras companhias que enviem mercadorias para os mesmos clientes. O primeiro passo pode ser envolver equipes multidisciplinares dentro das empresas para discutir os benefícios em se trabalhar em conjunto. Eles podem discutir com as empresas concorrentes para identificar oportunidades de colaboração.  
 
Os varejistas precisam garantir que a logística das empresas fornecedoras estejam se comunicando entre si. Os setores de compras e transportes devem trabalhar em conjunto para coordenar movimentos de entrada. A comunicação entre os varejistas pode levar a uma consolidação de pedidos de diferentes produtos, gerando eficiência no envio e no recebimento. 
 
As empresas terceirizadas estão na melhor posição para identificar onde a mudança para a distribuição colaborativa pode acontecer. Direcionar os clientes para a distribuição colaborativa pode resultar em economia e maior eficiência, além de reforçar o valor da terceirização. No entanto, isso requer uma mudança na tabela de preços e compensação. As terceirizadas precisam compartilhar as economias ganhas com a colaboração e deixar claro para os contratantes a razão da otimização de gastos. 

Autor(es):

facebook      twitter      google+

Armazenagem & Logística
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Armazenagem & Logística