A necessidade de tecnologia e inovação em técnicas para exploração de águas ultraprofundas (abaixo de 3 mil metros do nível do mar) é um dos desafios a se superar quando se fala da atividade de petróleo e gás na Bacia de Santos.

As características geológicas da camada do pré-sal exigem um modelo de exploração com sistemas resistentes à corrosão, altas temperaturas e pressão.

Por isso, a Petrobras criou o Centro de Pesquisas e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes), com o objetivo de atender às demandas tecnológicas para impulsionar os projetos da estatal.

Com grande experiência desde a descoberta da Bacia de Campos, o Cenpes traçou um plano de investimento que soma 200 bilhões de dólares - sendo 95% aplicada no Brasil e 5% destinada para o exterior. Dessa forma, a Petrobras pretende concretizar o projeto de chegar a 2017 produzindo 1 milhão de barris por dia somente com os recursos do pré-sal.

Até 2010, foram aplicados cerca de US $ 900 milhões em pesquisas de técnicas avançadas, desde novas características geológicas do solo até melhorias que podem ser feitas na produção ou recuperação do óleo.

Em Santos, o Parque Tecnológico da Petrobras, que será instalado a partir de 2013 no bairro do Valongo, servirá como base para incentivar a sinergia entre empresas e instituições para pesquisas aplicadas na área de petróleo e gás. Além disso, também abrange outros setores da economia local, como o Porto de Santos.

Autor(es):

facebook      twitter      google+

Petróleo & Gás
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Petróleo & Gás