Esfriamento global pode atingir a Terra nos próximos 30 anos De acordo com muitos cientistas, a Terra está em um "modo de esfriamento global" atual e vai observar as temperaturas caírem ao longo dos próximos 30 anos, com a forte tendência de o mundo entrar em uma "mini Era do Gelo". Durante vários anos, o Painel Internacional sobre Mudanças Climáticas da Organização das Nações Unidas, apelou aos governos de vários países a tomar medidas para prevenir o aquecimento global, antes que se torne uma ameaça mais séria do que já é. Cientistas e meteorologistas, autoridades governamentais, ativistas e ecologistas apontam o homem como o grande responsável pelas mudanças climáticas e, portanto, pretendem fazer com a população mundial mude seu comportamento em relação ao meio ambiente.

No entanto, muitos cientistas acreditam que a Terra está passando por uma tendência de arrefecimento global, o que poderá ocorrer dentro dos próximos 30 anos, pelo menos, de acordo com Mojib Latif, um professor do Instituto Leibniz, da Universidade Kiel, Alemanha, e autor do Painel Intergovernamental da ONU sobre Alterações Climáticas (IPCC). Latif disse que o mundo estará em uma "mini Era do Gelo".

Com base em estudos e relatórios científicos comprovados, Latif afirma que o tempo frio atual é um intervalo de 30 anos no ciclo de aquecimento global, o que pressupõe a possibilidade de que as temperaturas podem subir rapidamente no futuro.

A análise do cientista é baseada nos ciclos naturais na temperatura da água nos oceanos Pacífico e Atlântico, que é contraditória à crença de outros cientistas de que o Pólo Norte estará livre de gelo no verão de 2013. No entanto, de acordo com o Centro de Dados de Neve e Gelo dos EUA, em Colorado, o gelo do mar Ártico aumentou em mais de 26%, ou 409 mil milhas quadradas, desde 2007, relata o Washington Times.

Latif desenvolveu novos métodos para medir a temperatura dos oceanos 3.000 pés abaixo da superfície, que é onde as tendências, tanto de refrigeração quanto de aquecimento, começam. Estas previsões não são novas, no entanto. Em 2008, Latif e sua equipe de cientistas publicaram os resultados em 2008 e novamente em setembro de 2008 em uma conferência do IPCC, em Genebra, na Suíça.

Esfriamento global As temperaturas de congelamento atuais são por causa da oscilação ártica, mas a pesquisa da equipe de Latif mostra que este fato se transforma em uma mudança de longo prazo, que é conhecido como oscilações multidecadais do Pacífico e do Atlântico.

A mudança climática se tornou um tema de grande interesse público. As notícias sobre aquecimento global, efeito estufa, derretimento das calotas polares e geleiras sempre apontam os culpados: o fenômeno El Niño, a queima de combustíveis fósseis como o carvão e o petróleo, e o aumento consequente dos níveis de dióxido de carbono na atmosfera, que devem desencadear uma reação do sistema climático global.

O aspecto mais preocupante do aquecimento global é que isto iria causar derretimento das calotas polares, que por sua vez, faria com que o nível global do mar subisse e inundasse algumas das regiões mais densamente povoadas da Terra. Outros efeitos podem ser mudanças nos padrões de precipitação, levando às secas generalizadas e ameaças à produção agrícola. As últimas conseqüências: a emigração forçada sem precedentes, causando tumulto político e recolhimento econômico. Sabendo como os seres humanos tradicionalmente reagem a essas mudanças, a guerra seria o mais provável.

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Meio Ambiente
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Meio Ambiente