Distúrbios de audição ocupacionaisNos últimos anos, o setor de saúde e segurança do trabalho em diversos países, especialmente no Brasil, está se concentrando mais nos riscos aos quais os trabalhadores estão expostos ao ficarem em constante contato com ruídos produzidos pela operação das máquinas e equipamentos no decorrer dos processos produtivos nas indústrias e fábricas. As normas regulamentadoras de segurança do trabalho têm mais ênfase sobre o que os empregadores devem fazer para assegurar que a audição não seja afetada e para evitar os distúrbios de audição ocupacionais, ou surdez ocupacional.

O ruído ocupacional é geralmente uma preocupação na indústria de transformação, na construção civil e na mineração, uma vez que estas são as áreas onde as máquinas pesadas e barulhentas são empregadas com maior frequência. Em consequência à exposição a níveis elevados de ruídos, os trabalhadores, em longo prazo, podem apresentar diversos sintomas que indicam a perda de audição, como zumbidos, tonturas, até a perda auditiva temporária ou permanente.

Todos estes sinais são altamente angustiante para o indivíduo e a perda auditiva ocupacional temporária pode ser vista como um indicador de dano grave à saúde e que deve ser cuidado clinicamente a tempo de se impedir a perda permanente da audição. No entanto, somente no momento em que um indivíduo se torna consciente de que sua audição está começando a falhar é que ele procura ajuda médica, mas nesse ponto os danos já podem se tornar irreversíveis.

Surdez ocupacionalPor isso é tão importante o uso de equipamentos de proteção individual (EPI´s) por parte dos empregados, sendo os empregadores os responsáveis por ceder os equipamentos de segurança aos trabalhadores, como protetores auriculares, luvas, capacetes e máscaras de proteção. A lei obriga os trabalhadores a utilizarem esses equipamentos, assim como força as empresas a disponibilizarem os EPI´s aos seus funcionários, especialmente àqueles que mais de expõem aos riscos ocupacionais.

Os empregadores devem, portanto, seguir as orientações legais sobre proteção de seus empregados contra o ruído ocupacional. Eles devem realizar auditorias sobre os riscos enfrentados por seus empregados. Companhias privadas e consultores são capazes de ajudar nesse assunto, oferecendo equipamentos e a formação necessária a fim de que os trabalhadores saibam como utilizar cada tipo de equipamento de segurança.

Através do monitoramento da exposição ao ruído, usando dosímetros, as áreas de melhoria podem ser identificadas. Isso poderia significar a mudança de equipamentos ou processos de trabalho para mais silenciosos, ou o fornecimento de mais, ou melhor, proteção contra o ruído, tornando obrigatório para todos os funcionários o uso de equipamentos de proteção.

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Segurança do Trabalho
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Segurança do Trabalho