Com o objetivo de comprar a montadora sueca Saab, a montadora General Motors confirmou no último dia 4 de novembro que pode bloquear a venda da Saab a duas empresas chinesas. "Nós temos muitas perguntas não respondidas sobre a transação", disse o porta-voz da GM, Jim Cain, referindo-se à proposta de US$ 142 milhões anunciada para a venda da companhia Saab para as empresas chinesas Pang Da e Youngman.

"A GM não seria capaz de suportar uma mudança na propriedade da Saab, o que poderia impactar negativamente as relações existentes da GM na China, ou de outra forma afetar adversamente os interesses da GM em todo o mundo", disse Cain.

As companhias chinesas, na semana passada, informaram que iriam injetar 855 milhões de dólares na Saab, numa tentativa de revitalizar a empresa. A compra das empresas Pang Da e a Youngman requer a aprovação de vários conselhos, principalmente da GM, e das autoridades chinesas, além do Banco Europeu de Investimento e do escritório da dívida sueca.

"Se nossas preocupações podem ser resolvidas, pode tornar possível para nós continuarmos como um fornecedor da Saab", esclareceu Caim, aludindo às preocupações do fabricante de automóveis dos EUA sobre o fornecimento de tecnologia para a China.

Mas a GM está "aberta para as discussões adicionais sobre o acordo”, ele acrescentou. "Dado o tempo que passou desde que a transação foi anunciada, nós sentimos que é necessário comunicar a nossa posição neste momento", disse ele.

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Empresas
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Empresas