Como funcionam os alto-fornosOs alto-fornos são equipamentos industriais utilizados no processo de fundição de ferro. O calor gerado na fornalha torna possível produzir o ferro a partir de minérios de óxido de ferro. Uma lufada de ar contido dentro do alto-forno ajuda a intensificar o grau de calor, acelerando o processo de fundição.

Em termos de aparência, o alto-forno se parece com uma torre. Portas reforçadas são montadas na parte frontal do equipamento, o que facilita a colocação de matérias-primas no forno, seja manualmente, ou com o uso de uma correia transportadora. Alguns fornos deste tipo também são equipados com uma gaveta na base que faz a coleta de entulhos e outros produtos acabados muito mais facilmente.

Fornos deste tipo são muitas vezes utilizados no processo siderúrgico. Um alto-forno é ideal para combinar carvão e minério de ferro; o calor extremo neste tipo de forno torna possível o derretimento das duas substâncias em um metal líquido integrado que, em última análise é conhecido como ferro-gusa. O ferro gusa é removido da base do forno, e usado na criação de diferentes tipos de materiais de construção.

Juntamente com o carvão e o minério de ferro, calcário ou algum outro tipo de composto também pode ser introduzido na mistura. O projeto da torre do forno permite controlar o grau de calor gerado na câmara principal, propiciando, assim, que o operador possa temperar as matérias-primas, conforme necessário. O projeto básico de operação do alto-forno permaneceu praticamente inalterado durante séculos, devido ao fato de que ainda é a forma mais econômica de produzir ferro em grande escala.

alto-forno A origem do alto-forno é geralmente encontrada na China durante o século V a.C. Na Idade Média, o uso deste tipo de forno foi identificado na Inglaterra, bem como em algumas partes da Europa. O design atual do dispositivo é muitas vezes atribuído aos vários engenheiros do início do século 18, que, por meio de novos projetos inovadores, refinaram a capacidade do alto-forno para produzir grandes quantidades de produtos em uma única sessão. Ao mesmo tempo, esse novo projeto também tornou possível fazer uso do gás de alto-forno pela liberação de monóxido de carbono do carvão vegetal como agente redutor para o ferro-gusa criado no forno.

Fornos industriais deste tipo continuam sendo parte importante do processo de fabricação de aço em aciarias e indústrias siderúrgicas em todo o mundo. A operação e a manutenção de altos-fornos são atividades simples e baratas, pois um alto-forno pode durar por anos antes que precise ser substituído. O aspecto econômico do alto-forno para fundição ajuda a garantir que as siderúrgicas consigam se manter competitivas num mercado tão acirrado quanto o industrial, mesmo quando os metais produzidos por outros métodos tornam-se difíceis de comercializar.

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Máquinas & Equipamentos
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Máquinas & Equipamentos