Google
Matérias, artigos e empresas relacionados a Manutenção e Suprimentos para a indústria
Esqueci minha senha

Rede gaúcha busca novos mercados

Mais notícias relacionadas a empresas:

Golden apresenta lâmpadas com elevado fator de potência
Linha possibilita usar luz fluorescente em locais grandes com pé direito alto, oferecendo ótima iluminação.


Banco do Brasil facilita compra de equipamentos
BB Crédito Empresa serve para companhias que faturam até R$ 90 milhões anualmente


Honda Brasil investe em energia eólica
Novo parque de energia irá suprir toda a demanda da fábrica de Sumaré (SP) e ...


O principal alvo é São Paulo. Quatro lojas serão inauguradas na capital e cidades do interior. A Ferramentas Gerais (FG), principal controlada da SLC Participações, planeja se espalhar por todos os estados brasileiros e o Cone Sul para atingir um faturamento equivalente a US$ 1 bilhão até 2010. No ano passado, quando fincou sua bandeira em Minas Gerais e na Bahia, além de ampliar a presença em São Paulo, a maior distribuidora de suprimentos industriais do País alcançou uma receita de R$ 640 milhões, resultado 30% maior em comparação com 2003.

O crescimento foi impulsionado principalmente pelo bom desempenho da indústria brasileira, com uma evolução de 8,3% sobre 2003, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Nos próximos dois anos, o principal alvo é São Paulo, o mais poderoso estado brasileiro, mas que responde por apenas 10% do faturamento da FG. A empresa cresceu no mercado paulista em 2004 com a compra da Metalsolda, em São José do Rio Preto. Até 2006, a FG pretende instalar pelo menos mais quatro unidades na capital, Campinas, Ribeirão Preto e São José dos Campos. "Onde está a indústria a Ferramentas Gerais tem de estar", diz o presidente da holding, Eduardo Silva Logemann.

O irmão, Jorge Luiz Silva Logemann, diretor-presidente da FG, revela ainda que neste biênio a empresa deverá ter novas operações no Rio de Janeiro, no Paraná e em Goiás, além de avaliar outras oportunidades no Centro-Oeste. No exterior, a idéia é ter filiais na Argentina, Uruguai e Chile.

Apesar das perspectivas de um crescimento menor do setor industrial, entre 5% e 6%, a alta base de comparação indica que 2005 deverá ser outro ano positivo para a FG, que pretende ter uma evolução das vendas entre 20% e 30%.

A FG, considerada um supermercado da indústria, também planeja ampliar o conceito de "factory store", pequenas lojas instaladas dentro das indústrias que funcionam como uma espécie de almoxarifado terceirizado. "Para o cliente, é bom porque ele reduz os estoques próprios e ao mesmo tempo tem disponibilidade dos produtos na loja. Para nós, agrega vendas, fideliza o cliente e garante volume", explica Jorge Logemann. Existem hoje 12 lojas neste conceito instaladas no Pólo Petroquímico de Triunfo (RS) e em indústrias como a Electrolux e Klabin. A previsão é dobrar o número em 2005.

Menos de 20% das vendas totais da FG são feitas em balcão. A maior parte dos negócios, com indústrias de todos os portes, é fechada por outros meios, como call center e equipes de vendas externas. Como líder nacional no fornecimento de ferramentas, máquinas, equipamentos, suprimentos industriais e serviços de Manutenção, Reparo e Operação (MRO), a FG conta com 85 mil itens para entrega no prazo no máximo 24 horas. As unidades estão localizadas hoje nos estados do Rio Grande do Sul (Porto Alegre e Caxias do Sul), Santa Catarina (Joinville), Paraná (Curitiba), São Paulo (Itu e São José do Rio Preto), Minas Gerais (Contagem) e Bahia (Salvador).

O grupo SLC, que completa 60 anos, alcançou em 2004 um faturamento de R$ 1,2 bilhão, o equivalente a um crescimento de 20% sobre o exercício anterior. O lucro líquido subiu de R$ 40 milhões para R$ 70 milhões. A SLC Agrícola, segunda maior controlada, faturou R$ 285,7 milhões, mostrando um avanço de 21% sobre 2003. É a maior empresa no cultivo de algodão no País e uma das três principais em soja.

Outro braço importante é a SLC Alimentos, a terceira na comercialização de arroz branco no mercado nacional. A companhia contabilizou faturamento de R$ 240 milhões ano passado, apenas R$ 10 milhões a mais em comparação a 2003, devido à queda do preço do cereal. A holding projeta para 2010 uma receita bruta equivalente a US$ 1,5 bilhão.

Gazeta Mercantil

facebook      twitter      google+

* campos obrigatórios

Outras notícias relacionadas a empresas:

O que é espionagem industrial

A espionagem industrial é uma tentativa de obter acesso a informações sobre planos da empresa, produtos, clientes ou segredos comerciais. Na maioria dos casos, tal conduta, especialmente quando se trata ...
Minério de ferro e ouro impulsionarão lucro da Vale

O avanço no preço do minério de ferro, que cresceu aproximadamente 23% até março, na comparação com o quarto trimestre de 2012, e o acordo ...
Kia Motors faz recall no Brasil

No dia 1º de maio, tem início o recall dos carros modelos Soul, Carens, Carnival e Sorrento (anos 2007 e 2008) e Sorento (2009 a 2011), da montadora Kia ...
Agrale apresenta caminhões na Agrishow 2013

A Agrale apresenta na Agrishow 2013 dois modelos da sua linha de caminhões, o Agrale 8700 e o 14000. A feira acontece entre os dias 29 de abril e ...
Klüber Lubrication investe na gestão do conhecimento

A subsidiária da América Latina da Klüber Lubrication, especializada em soluções com lubrificantes especiais, definiu a gestão do conhecimento como um dos principais pontos da ...
Fiat ultrapassa 5 milhões de carros flex feitos no Brasil

A Fiat ultrapassou nesta semana a marca de 5 milhões de automóveis e comerciais leves produzidos com a tecnologia Flex Fuel. Atualmente, 99% dos veículos produzidos para ...
Bener Presses lança máquina de corte laser por fibra ótica

Na Feimafe 2013, o Grupo Bener apresentará a máquina de corte laser por fibra óptica modelo BLS-F 3015/2000, da Baykal, fabricante turca representada exclusivamente desde 2011 no Brasil ...

Empresas
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Empresas


Veja na Agenda de Feiras e Congressos
Veja na Agenda de Feiras e Congressos

Google