EUA impõe sanções para petróleo do IrãO presidente norteamericano Barack Obama aumentou a pressão sobre a indústria de petróleo do Irã com novas sanções, na semana passada. As sanções, que incluem disposições muito mais rígidas, devem colocar enorme pressão sobre o governo iraniano, mas também podem causar um aumento nos preços do petróleo.

As sanções incluem restrições mais severas às empresas que prestam serviços ao Irã com equipamentos e expertise necessários para explorar os vastos campos iranianos de petróleo e também a indústria química. Mas o passo mais polêmico tomado pela administração americana foi a declaração de que todo o sistema bancário iraniano, incluindo o seu Banco Central, consiste em uma ameaça para o mercado internacional de petróleo.

O Irã comercializa 2,2 milhão de barris por dia em negócios de exportação de petróleo através de seu banco central, usando-o como um intermediário entre a empresa nacional de petróleo e seus clientes compradores de petróleo.

Declarar o banco uma ameaça abre as portas para os Estados Unidos para impor sanções a qualquer empresa ou governo que lide com o banco, medida que incluiria as empresas de lugares como China, Japão e Índia que comprarem petróleo iraniano.

"Seria como forçar qualquer país a escolher entre fazer negócios com o Irã e fazer negócios com os Estados Unidos", disse Robert McNally, presidente da consultoria de energia do Grupo Rapidan e ex-assessor do presidente George W. Bush.

E isso seria uma tentativa direta de cortar as exportações de petróleo do Irã.

O Irã é o terceiro maior exportador de petróleo do mundo, atrás da Arábia Saudita e Rússia, segundo a Agência de Informação de Energia dos EUA. O governo iraniano recebe 50% da sua receita de suas exportações de petróleo.

O país exporta mais petróleo que a Líbia, que ainda está majoritariamente fora do mercado. A maior parte da capacidade de produção mundial de reposição de óleo fica na Arábia Saudita. Com as sanções, o mercado saudita seria duramente pressionado para compensar os 2,2 milhões de barris por dia. Dessa forma, restringir as exportações do Irã provavelmente elevaria o preço do petróleo.

Mas alguns especialistas questionam o impacto dessas novas sanções mais rigorosas sobre a capacidade do Irã de vender o seu petróleo. Empresas que compram petróleo do Irã iriam travar as exportações de petróleo iraniano, mas não em definitivo, dizem eles.

O petróleo é uma mercadoria fungível, o que significa que é possível encher um tanque, enviá-lo para diferentes portos, vender o óleo para empresas diferentes e acabar nos mercados mundiais com poucos vestígios de sua origem.

"Petróleo iraniano ainda teria fluxo", disse Manouchehr Takin, analista de energia do Centro para Estudos de Energia Global, em Londres. Mas este processo é mais difícil e mais caro.

EUA impõe sanções para petróleo do IrãA administração de Obama espera que essas sanções, combinada com todas as outras que foram anunciadas ao longo dos anos, serão suficientes para fazer o regime iraniano reconsiderar seu programa nuclear ou forçar uma divisão dentro do governo, conduzindo a um novo regime político, com direcionamento pró-ocidental.

O atual governo iraniano tem brigado com o Ocidente sobre seu programa nuclear há anos. Os líderes iranianos afirmam que o programa é para fins pacíficos, mas a maioria dos governos ocidentais pensa que o objetivo é produzir bombas nucleares.

Acabar com esse impasse tem sido difícil. Muitos analistas militares dizem que uma greve nas bem fortificadas instalações nucleares do Irã só adia seu programa em alguns meses e coloca a seus cidadãos.

Assim, a administração Obama "tenta construir mais fissuras internas que podemos então aproveitar", disse Juan Zarate, também membro da administração Bush e agora ex-analista do Centro para Estudos Estratégicos e Internacionais. "O laço financeiro vai continuar a apertar, e a vida não vai ser mais fácil para os iranianos."

Mas a aplicação de sanções não é garantia para trazer a mudança social que o Ocidente deseja, também. Muitas sanções, como as que restringem o fornecimento de gêneros alimentícios, podem ajudar a solidificar apoio ao regime dentro do país e força-lo a se tornar ainda mais agressivo.

E ainda há o preço do petróleo. O que acontece se as sanções são muito eficazes e o Irã não puder mais levar seu petróleo para o mercado?

O governo americano está "muito, muito preocupado com a possível subida dos preços", disse McNally. "Essa é sua preocupação primordial”.

Autor(es):

facebook      twitter      google+

Petróleo & Gás
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Petróleo & Gás