Economia global terá retração, prevê organizaçãoA Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) alertou que a zona do euro e o Reino Unido podem estar entrando em uma recessão da economia e reduziu sua previsão de crescimento global.

A OCDE disse que a zona do euro encolheria em 1% no quarto trimestre de 2011 e 0,4% no primeiro trimestre de 2012.

Para o Reino Unido, as previsões da OCDE são uma contração de 0,03% neste trimestre e 0,15% no próximo.

Além disso, Mervyn King, do Bank of England, disse a uma comissão de deputados que o crescimento seria "nulo ou perto de zero" ao longo dos próximos seis meses.

Ele disse ao Comitê do Tesouro que não tinha ainda lido o relatório da OCDE, mas advertiu: "As perspectivas para o crescimento da produção no curto prazo são consideravelmente mais fracos do que até três meses atrás”.

Relatório da OCDE também revisou para baixo sua previsão para o crescimento econômico global para 3,8% este ano e 3,4% no próximo ano.

Eventos

Incidentes negativos na zona do euro, como os ocorridos na Itália e na Espanha, poderiam até mesmo causar uma contração global, disse a OCDE.

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico representa os países ricos, como os da zona do euro, os EUA e o Japão. "Mais do que o habitual, perspectivas econômicas mundiais dependem de eventos", alertou.

Na ausência de tais eventos, a OCDE previu um crescimento positivo na zona do euro para 2012 como um total de 0,2%, apesar de uma recessão rasa no período de setembro 2011 a março de 2012.

É recomendado pelo relatório do OCDE que o Banco Central Europeu corte as taxas e aumente suas compras de títulos do governo, a fim de limitar o custo dos empréstimos para os governos.

"O que vemos agora é o contágio da crise subindo e atingindo, provavelmente, a Alemanha também", disse o economista-chefe da OCDE, Pier Carlo Padoan.
"Então, a prioridade absoluta é parar e, de imediato, o único órgão que pode fazer isso é o BCE", acrescentou.

No Reino Unido, o crescimento é previsto para ser mais rápido do que a zona do euro no próximo ano, em 0,5%, disse a OCDE.

O grupo também previu um aumento do desemprego no Reino Unido, com a taxa de desemprego aumentando de 8,1% em 2011 para 9,1% em 2013, mesmo com a economia em recuperação.

Embora apoiando planos para reduzir o déficit, o relatório recomenda que o Banco da Inglaterra aumente ainda mais o seu programa de flexibilização quantitativa para um total de 400 bilhões de libras esterlinas, para aumentar o fluxo de crédito à economia.

A OCDE já esteve errada em suas previsões no passado, mas, em relação à crise atual na zona do euro, suas posições estão de acordo com as de muitos analistas privados.
"É muito claro que, como uma economia aberta, nós vamos ser afetados pelo que acontece à nossa porta, na zona do euro", disse um porta-voz do banco inglês.

Desaceleração do comércio

Nos EUA, a economia deverá continuar a crescer 1,7% este ano e 2% em 2012.

No entanto, a demora do Congresso americano em aprovar uma forma mais equilibrada para reduzir o déficit do governo federal também pode estimular o encolhimento da economia dos EUA, a OCDE advertiu.

"O crescimento do comércio internacional enfraqueceu significativamente. Ao contrário do que era esperado no início deste ano, a economia global não está fora de perigo", alertou o relatório.

A OCDE, no entanto, prevê uma melhora na economia do Japão, depois do terremoto e do tsunami deste ano. A previsão é de que o Japão cresça 2% em 2012, após uma contração de 0,3% em 2011.

Autor(es):

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia