Como funciona um fusível Na área de engenharia elétrica, um fusível é um tipo de componente elétrico, cuja função é a proteção dos circuitos elétricos contra as sobrecorrentes. Isso efetivamente ajuda a evitar danos à fiação e a quaisquer aparelhos ou máquinas que podem estar associadas. Ao mesmo tempo, um fusível é um componente elétrico capaz de se reprogramar uma vez que a sobrecarga de energia é revertida e o fluxo de corrente é restabelecido de acordo com a normalidade.

A função de um fusível envolve duas fases específicas. Durante a primeira fase, a temperatura gerada pelo fluxo de corrente é analisada para seja verificada de que está dentro da faixa aceitável. Esta temperatura é controlada pelo polímero de revestimento que se encontra no dispositivo. Componentes resistivos como o carbono também estão presentes, tornando possível o monitoramento constante da temperatura e do fluxo de corrente, assegurando assim que o fluxo não irá danificar a fiação ou os dispositivos conectados. Caso a temperatura exceda os limites aceitáveis, o fusível desliga o fluxo para a fiação, impedindo qualquer tipo de situação de sobrecarga.

fusível As propriedades do fusível continuam a monitorar a temperatura e só permitem que o fluxo de corrente seja reestabelecido quando o nível mais elevado de corrente se dissipou e os níveis retornaram aos parâmetros aceitáveis. Ao detectar esse fenômeno, o fusível é ativado mais uma vez, e o fluxo de corrente para a fiação e para todos os dispositivos conectados à fiação é restaurado. O uso do fusível em sistemas elétricos é uma forma de proteger máquinas e equipamentos caros demais, minimizando a necessidade de substituir a fiação danificada ou máquinas que foram destruídas devido a uma oscilação de energia.

Um dos benefícios de um fusível é essa capacidade de detectar automaticamente quando o fluxo de energia é normalizado. A partir dessa perspectiva, há muitos profissionais na área de elétrica que defendem que um nome mais apropriado para este tipo de componente é fusível de auto-restauração, já que não há necessidade de intervenção manual para ativar o fusível quando o pico de energia já foi normalizado. Juntamente com a proteção da fiação e de equipamentos, o fusível também pode economizar tempo em termos de restaurar o fluxo de corrente da maneira mais eficiente.

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Elétrica & Eletrônica
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Elétrica & Eletrônica