congresso de petróleo doha 2011Representantes de algumas nações pertencentes à Organização dos Países Produtores de Petróleo (Opep) reconheceram na última segunda-feira o que muitos políticos dos EUA não querem admitir: que o aquecimento global é, de fato, um problema.

Os representantes presentes no Congresso Mundial de Petróleo (World Petroleum Congress), um encontro de uma semana de executivos da indústria do petróleo e autoridades governamentais realizado a cada três anos, delinearam os passos de seus países em direção a energia renovável e mais limpa.

"Efeitos climáticos são uma realidade inquestionável", disse o sheikh Hamad bin Khalifa Al Thani, Emir do Qatar. "O desenvolvimento de recursos limpos e renováveis é uma meta que tem total apoio dos países exportadores de petróleo e gás".

A sessão de abertura da conferência concentrou-se sobre as formas como Oriente Médio pode ajudar a resolver o desafio de energia do mundo: tratar a dependência de uma forma “suja” de combustível que está se tornando cada vez mais caro e que um dia vai acabar.

O ministro do Bahrein detalhou vários novos projetos de seu país, e o ministro do Kuwait disse que planeja investir 180 bilhões de dólares ao longo das próximas duas décadas no desenvolvimento de campos petrolíferos.

Com esse investimento, o Kuwait espera aumentar, até 2020, sua produção de petróleo para 4 milhões de barris por dia, 1 milhão de bpd a mais do que os atuais 3 milhões de barris diários.

Mas os ministros do petróleo do Bahrein e dos Emirados Árabes Unidos também falaram sobre projetos de energia solar em construção nesses locais. Esses projetos ainda são modestos em tamanho em comparação com projetos nos Estados Unidos, Espanha e outros lugares, mas incluem planos de grande expansão daqui para frente.

opep quer incentivar energia limpa Arábia Saudita: potência solar

O congresso também teve uma discussão sobre o uso de gás natural como combustível para gerar eletricidade e sobre subsídios que permitam aos consumidores no Oriente Médio comprar gasolina e eletricidade por um preço menor do que do seu custo real.

Muitos países no Oriente Médio simplesmente queimam o gás natural que vem de poços de petróleo e utilizam o próprio petróleo para gerar eletricidade.

Isso não era um problema quando o petróleo era barato e seu consumo próprio, baixo. Mas, conforme esses países ficam mais ricos, eles estão usando mais e mais gasolina e eletricidade, colocando em risco sua capacidade de exportação de petróleo e geração de receita do governo.

Alguns relatórios dizem que a Arábia Saudita irá consumir quase todos os seus atuais de produção de petróleo nas próximas duas décadas, a menos que tome medidas para tornar mais eficiente e gerar eletricidade a partir de outras fontes - uma perspectiva que os sauditas estão explorando.

Autor(es):

facebook      twitter      google+

Petróleo & Gás
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Petróleo & Gás