Aviação terá ano difícil em 2012O ano de 2012 não deve ser bom para as companhias aéreas, que enfrentarão mais de US$ 8 milhões em perdas se a Europa não conseguir controlar a crise da dívida do euro. O alerta é da International Air Transport Association (IATA), grupo mundial de empresários do setor de aviação.

A crise da economia europeia teria atingido o transporte aéreo em todo o mundo e congelado os lucros na Ásia, mercado extremamente importante para a indústria aérea.

"O maior risco para a rentabilidade durante o próximo ano é a crise econômica que resultaria de um fracasso dos governos para resolver a crise da dívida soberana da zona do euro", disse Tony Tyler, diretor-geral da IATA.

"Tal resultado poderia levar a perdas de mais de US $ 8 bilhões, o maior desde a crise financeira de 2008", acrescentou.

Mesmo no melhor dos casos, as companhias aéreas da Europa devem enfrentar perdas em 2012 e a diferença entre as grandes e pequenas companhias pode estimular as transportadoras asiáticas a absorver a nova demanda e colocar à venda companhias aéreas menores para investidores norteamericanos.

A IATA, que representa 240 das companhias aéreas mais conhecidas do mundo, responsáveis por 84% do tráfego global, reduziu sua projeção de lucros da indústria para US $ 3,5 bilhões de $ 4,9 bilhões em 2012. Sua perspectiva de lucro de 2011 foi inalterada em US $ 6,9 bilhões.

Até agora, a aviação tem sido relativamente otimista sobre suas perspectivas de como a Europa oscila à beira da recessão, com aumento da demanda na Ásia e na restrição de capacidade na América do Norte.

Aviação terá ano difícil em 2012Líderes da indústria têm sido poucos abertos a contemplar um colapso, com a Airbus e a Boeing elevando a produção para níveis recorde para atender à demanda de consumo de jatos e combustível, dada a força continuada dos preços do petróleo.

Mas IATA disse que não podia ignorar os riscos econômicos crescentes.

"Ainda há um risco muito significativo que a crise da dívida soberana da zona do euro poderia sair do controle, gerando uma crise bancária generalizada e mais fraqueza econômica", disse em um novo comunicado, divulgado hoje em Genebra.

A previsão da IATA para o pior caso baseia-se em uma avaliação de risco sobre a crise da dívida européia, realizado pela Organização para Cooperação Econômica e Desenvolvimento.

O exercício leva em conta a possibilidade de uma crise bancária de grande porte, marcada pela recessão europeia, com uma queda sentida em nível global. O IATA adota a previsão da OCDE de que a economia mundial crescerá 0,8% no próximo ano.

"Neste cenário, as companhias aéreas veriam o crescimento da demanda de passageiros diminuir, além de uma contração de 4,7% nos mercados de carga", disse a IATA. Operadoras asiáticas passariam de um lucro de US $ 3,3 bilhões em 2011 para um prejuízo de US $ 1,1 bilhão.

O mercado de logística já está em declínio, em um sinal de enfraquecimento do comércio global, embora as empresas de passageiros de muitas companhias aéreas tenham apresentado desempenho melhor do que o esperado. O tráfego de mercadorias encolheu 5% entre maio e outubro.

"O comércio internacional está praticamente parado e estamos propensos a ver uma desaceleração nos negócios e viagens pessoais como resultado", disse o economista-chefe da IATA, Brian Pearce.

Autor(es):

facebook      twitter      google+

Comércio Internacional
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Comércio Internacional