Impacto da perfuração de petróleo e gás em águas subterrâneas A extração de petróleo e gás pode afetar o meio ambiente, a qualidade e a quantidade dos recursos hídricos subterrâneos locais, com impactos reais no lençol freático, dependendo das práticas de perfuração e métodos específicos de eliminação de resíduos.

Poluição das águas subterrâneas pode ocorrer devido a fratura hidráulica, mistura pós-aquífera ou selagem inadequada de poços abandonados. O esgotamento da água do solo muitas vezes ocorre durante o processo de perfuração ou devido ao consumo de água por práticas como controle de poeira e produção de concreto.

Fraturamento hidráulico

Fraturamento hidráulico, também conhecido como fracking, é um processo de perfuração que injeta água, areia e produtos químicos sob alta pressão para romper formações rochosas subterrâneas. Com as tecnologias de fraturamento se tornando mais sofisticadas, as empresas usam cada vez mais a técnica de fracking para acessar depósitos de gás natural em formações profundas de xisto. Enquanto as empresas de petróleo e gás afirmam que o processo é seguro, relatos de poluição das águas subterrâneas vêm se tornando comuns em áreas próximas a operações de perfuração.

Órgãos internacionais do setor devem emitir um relatório para regulamentação de fracking em 2012, após incidentes com a qualidade da água em vários estados norteamericanos.

Os Estados Unidos contém grandes depósitos de xisto de gás natural, incluindo a reserva Marcellus, no leste do país. Conforme as empresas de perfuração começam a utilizar fracking em regiões mais populosas, o processo é cada vez mais controverso.

Impacto da perfuração de petróleo e gás em águas subterrâneas Fraturamento hidráulico pode resultar na contaminação não intencional de águas subterrâneas em torno de metano, produtos químicos e outras substâncias tóxicos liberados a partir do fraturamento das camadas de xisto, incluindo metais pesados.

Um estudo da Universidade de Duke em 2011 revelou que poços de água na região de Marcellus foram contaminados pelo metano das operações de perfuração local. Fracking também resulta em grandes quantidades de águas residuais, que devem ser tratados em locais de tratamento de resíduos. Tratamento inadequado de águas residuais e derrames resultaram na poluição de águas superficiais significativos perto dos locais de perfuração.

Problemas com poços abandonados

Poluição das águas subterrâneas podem ocorrer quando os poços de petróleo ou gás são indevidamente selados quando a extração é concluída. Este tipo de poluição é mais comum com poços mais antigos ou abandonados. No entanto, 45 mil novos poços foram perfurados em 2010 apenas em território americano e alguns deles podem apresentar problemas no futuro. Poços inadequadamente lacrados podem levar à contaminação das águas subterrâneas de água, gás, óleo e salmoura. Fraturamento hidráulico em operações de perfuração de novos poços pode também afetar poços mais velhos, levando a aumento da contaminação.

Esgotamento das águas subterrâneas

Processos de perfuração usam grandes quantidades de água. Todas as operações resultam em produção de água, ou água que é elaborada junto com petróleo e gás.

Geralmente, com o tempo do poço, aumenta a porcentagem de água produzida em perfuração. Fraturamento hidráulico é particularmente invasivo, usando de 3 a 8 milhões de litros de água por poço, alguns dos quais é retirado de águas subterrâneas. Operações de perfuração também podem usar as águas subterrâneas para uma variedade de outros fins.

Autor(es):

facebook      twitter      google+

Petróleo & Gás
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Petróleo & Gás