Opep reduz previsão de demanda de petróleo para 2012A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) diminuiu, ainda que ligeiramente, sua previsão de demanda mundial para 2012 na manhã de hoje. Ministros das nações participantes estão reunidos em Viena para discutir os níveis de produção em meio a tensões sobre Irã e a desaceleração do crescimento global. Os 12 membros do cartel da OPEP fornecem um terço de todo o petróleo e gás do mundo.

A OPEP disse, em seu relatório mensal, que a demanda mundial de petróleo no próximo ano atingirá 88,87 milhões de barris por dia (bpd), revisando para baixo sua previsão anterior de 89,01 milhões bpd.

"O ajuste reflete a desaceleração do crescimento nos países da OCDE, que deverá ter repercussões para a China e Índia, e, portanto, o impacto no consumo de petróleo durante o próximo ano", disse o órgão.

Para 2011, a demanda permaneceu praticamente inalterada em 87,80 milhões de bpd, em comparação com 87,81 milhões de bpd no último relatório mensal da OPEP em novembro.

A organização espera, assim, crescimento de demanda anual de 860 mil bpd este ano - de 86,93 milhões de bpd em 2010 - e para 1070 mil bpd no ano seguinte.

Os ministros da Opep se encontraram na Europa para decidir se mudam as cotas de produção em face de fatores como as crescentes tensões políticas no Irã, aumento de produção da Líbia e a crise da economia.

Apesar de manter a previsão de crescimento da economia mundial para 2011 e 2012 em 3,6% em seu relatório, a OPEP observou que isso aconteceu graças aos países em desenvolvimento que estavam "ajudando a compensar o déficit" no grupo dos países desenvolvidos.

A dívida da zona do euro "continua sendo o centro de incerteza", disse o representante do órgão, ainda que o Japão e os Estados Unidos também estejam revendo o crescimento para o próximo ano.

Olhando para o futuro, a Opep observou: "a desaceleração do crescimento econômico e as perspectivas incertas para a economia global no próximo ano aumentam os riscos que o mercado de petróleo enfrentará em 2012."

Como resultado, a organização incentivou a se manter um olhar atento sobre os fatores que influenciam os preços do petróleo, tais como alterações na oferta e demanda, mas também "não-fundamentais, tais como fatores macroeconômicos, para garantir que o mercado permaneça estável durante esse período desafiador para a economia mundial".

Em Viena, era esperado que a OPEP mantivesse sua meta de produção oficial em 24,84 milhões de bpd, um nível que permaneceu inalterado por três anos, apesar de a Agência Internacional de Energia (AIE) estimar a produção real de 27,32 milhões bpd.

Autor(es):

facebook      twitter      google+

Petróleo & Gás
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Petróleo & Gás