Atividade industrial na Europa cai pelo quinto mês seguidoA atividade no setor industrial na Europa caiu pelo o quinto mês consecutivo em dezembro, mas mostrou uma ligeira melhoria em relação ao mês anterior, segundo a pesquisa Markit Manufacturing Project Management Institute, divulgada hoje.

O índice da atividade industrial na zona do euro foi de 46,9, contra o número mais baixo em 28 meses, ocorrido em novembro, de 46,4. Qualquer pontuação abaixo de 50 representa uma contração.

De acordo com a Markit, os níveis de produção e novas encomendas caíram em todos os 17 países membros da comunidade europeia.

A Markit faz um estudo minucioso com 3 mil empresas fabricantes, que inclui perguntas sobre novas encomendas, preços das matérias-primas e os níveis de emprego, que é considerado por economistas como uma radiografia útil da atividade econômica bem à frente dos dados oficiais.

O emprego aumentou na Alemanha e na França, mas caiu no continente como um todo. O levantamento da Markit aponta que o crescimento de produção nos últimos três meses do ano passado foi o mais fraco desde meados de 2009.

“A manufatura na zona do euro está claramente passando por uma nova recessão", disse o economista-chefe da Markit, Chris Williamson.

Apesar de a taxa de declínio ter aliviado ligeiramente em dezembro, a produção parece ter caído na área a uma taxa trimestral de cerca de 1,5% no último trimestre de 2011.

Nenhum país da zona do euro registrou aumento na atividade industrial em dezembro. A Áustria teve a maior pontuação de 49, seguida pela França em 48,9 e 48,4 na Alemanha. A pesquisa também constatou que os preços dos insumos em toda a zona do euro caíram pelo terceiro mês consecutivo.

Muitos economistas acreditam que a economia da zona euro como um todo está caminhando para uma recessão, após um crescimento de apenas 0,2% entre julho e setembro - os últimos dados oficiais disponíveis.

"Os fabricantes da Europa estão agora muito mais com o pé para trás e precisam encarar um ambiente desafiador, conforme a demanda interna é atingida por uma política fiscal mais apertada em toda a região, limitando o poder de compra do consumidor, restringindo crédito e vivendo a turbulência nos mercados financeiros, ", disse Howard Archer, da IHS Global Insight.

Atividade industrial na Europa cai pelo quinto mês seguidoO grupo de pesquisa acredita que os últimos dados do PMI oferecem "apoio significativo" para o caso do Banco Central Europeu a cortar as taxas de juros no próximos meses.

Uma pesquisa realizada entre os principais economistas pela rede de comunicação inglesa BBC na semana passada constatou que, dos 27 que responderam, 25 prevêem um retorno à recessão para a Europa no próximo ano.

Os últimos dados vêm junto com as informações de que o recém-eleito governo espanhol de centro-direita afirma que o déficit do país era pior do que previsto anteriormente. Na sexta-feira, o governo disse que o déficit em 2011 seria de 8% do PIB em vez dos 6% previstos pelo governo socialista anterior.

Na manhã de hoje, o novo ministro das Finanças do país, Luis de Guindos, disse que o déficit para o ano poderia ser ainda maior. No entanto, os mercados europeus pareciam preparados para mais notícias tristes neste início de 2012.

Ainda na manhã da primeira segunda-feira do ano, os mercados nas economias da zona do euro subiram entre 0,7% e 1,3%. O índice Dax de Frankfurt foi o destaque, com um aumento de 1,3%.

No entanto, a negociação foi relativamente calma, com os mercados do Reino Unido fechados para o feriado bancário, o que pode significar que os movimentos não são representativos do sentimento geral do mercado.

Autor(es):

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia