Ford estabelece meta de redução de 30% de água por veículoA montadora norteamericana Ford estabeleceu uma nova estratégia agressiva para redução global de 30% de água consumida por veículo até 2015.

Entre 2000 e 2010, a Ford reduziu seu consumo global total de água em 62%, ou 10,5 bilhões de litros; sendo 71% na América do Norte. Em uma base por veículo, o uso global de água diminuiu 49% entre 2000 e 2010, 45% na América do Norte.

A Ford entra 2012 com planos para reduzir ainda mais a quantidade de água utilizada para produzir os veículos e continuar mostrando que a eficiência não é só inerente à sua linha de produção de veículos, mas também em suas práticas de fabricação amigas do meio ambiente.

A nova meta exige que a Ford reduza a quantidade de água utilizada para fazer cada veículo em 30% globalmente, até 2015, em comparação com a quantidade de água utilizada por veículo em 2009.

A empresa automobilística também está desenvolvendo metas anuais de eficiência, como parte de seu processo de planejamento ambiental de negócios e criou uma equipe multifuncional que abrange várias divisões para analisar o uso da água na indústria de forma mais holística.

"A água continua a ser uma das nossas principais prioridades ambientais e nossa meta de redução agressiva ajuda a garantir foco contínuo sobre esse recurso crítico", disse Sue Cischke, vice-presidente de Sustentabilidade, Meio Ambiente e Engenharia de Segurança da Ford.

As ações mais recentes da Ford de redução de água foram projetadas para dar continuidade ao sucesso que a empresa tem tido com a sua Iniciativa Global dos Recursos Hídricos, lançada em 2000.

Entre 2000 e 2010, a Ford reduziu seu consumo global de água em 62%, ou 10,5 bilhões de galões. Isso é o equivalente a quantidade de água média que 105 mil residências americanas usam anualmente, com base em números da Agência de Proteção Ambiental dos EUA.

Se Ford cumprir a meta de reduzir a quantidade de água utilizada em 30% entre 2009 e 2015, a quantidade de água utilizada para fazer um veículo cairá de 9,5 metros cúbicos em 2000 para cerca de 3,5 metros cúbicos em 2015. Um metro cúbico é igual a 264,2 litros de água.

Exemplo

Quando se trata de seca, água e crescimento populacional extenso são apenas dois dos muitos desafios em lugares como o deserto de Sonora, no México, local da estamparia e da montagem da Ford na América do Norte. A planta produz o Ford Fusion, Fusion Hybrid e o Lincoln MKZ. A estamparia e a montagem na fábrica de Hermosillo dobrou entre 2000 e 2010. No entanto, o uso da água na usina caiu durante o mesmo período em 40%.

"Nós aplicamos nossa tecnologia e inovação na fábrica de Hermosillo para reduzir o consumo de água, minimizar o impacto sobre a comunidade e produzir veículos de uma forma mais sustentável ", disse Larry Merritt , gerente do escritório de Qualidade Ambiental da Ford.

Para reduzir o uso de água, um reator de membrana biológica - um sistema de tratamento biológico de águas - foi instalado. O complexo sistema é capaz de fazer até 65% das águas residuais adequadas com alta qualidade para reutilização em outras partes da instalação ou para irrigação da planta. O sistema de tratamento de água também está sendo utilizado em fábricas da Ford em Chennai, na Índia e em Chongqing, na China .

Ford estabelece meta de redução de 30% de água por veículoMais tecnologia, menos água

Outra abordagem é reduzir a quantidade de água necessária para completar uma tarefa - uma estratégia proporcionada pelo uso de tecnologias avançadas.

"À medida que investimos em instalações novas e nas já existentes no mundo, nossa estratégia de água prioriza tecnologias de produção sustentável", disse John Fleming , vice-presidente executivo de Manufatura Global e Relações do Trabalho. "Esta abordagem disciplinada nos permite fazer progressos significativos na redução de água e outros esforços ambientais ao longo do tempo”.

Por exemplo, várias das fábricas da Ford ao redor do mundo estão usando Quantidade Mínima Lubrificação de usinagem (QML), também conhecida como usinagem a seco.

Esta tecnologia lubrifica a ferramenta de corte com uma quantidade muito pequena de óleo borrifado diretamente sobre a ponta em uma névoa finamente atomizada, em vez de com uma grande quantidade de refrigerante/ água. O processo economiza centenas de milhares de litros de água e óleo por ano. Ao eliminar a mistura de refrigerante/água, a usinagem a seco elimina a necessidade de tratar e dispor de um fluxo de resíduos oleosos.

A usinagem a seco também oferece benefícios significativos no consumo de energia, resíduos de produção, qualidade, condições de trabalho e custos. Para uma linha típica de 450 mil unidades, mais de 280.000 litros de água podem ser economizados anualmente.

O sistema de usinagem a seco foi implementado em plantas nos EUA e na Europa. Outras fábricas no mundo estão sendo consideradas para receber a nova técnica.

Sucesso

Antes Ford lançou a Iniciativa Global de Gestão da Água em 2000, muitas instalações tiveram pouca capacidade de controlar até mesmo o uso da água. O quadro é muito diferente hoje.

Quando a iniciativa começou, os engenheiros da Ford desenvolveram um software para prever o uso da água. Outro tipo de software foi criado para rastrear o uso da água em cada unidade e gerar um relatório mensal para identificar sucessos e potenciais oportunidades de melhorias.

Além disso, ações de redução de água são construídas no Sistema Ambiental de Operação da Ford, que fornece uma abordagem padronizada simplificada para satisfazer todas as exigências ambientais, incluindo os objetivos e metas de sustentabilidade dentro de cada uma das fábricas da Ford ao redor do mundo.

O sistema permite que a Ford acompanhe, em suas fábricas, o desempenho de ações de redução de água fundamentais, como a identificação de fugas e reparação e otimização de torre de resfriamento em cada local de fabricação em todo o mundo.

O progresso da Ford sobre sua meta de redução de água será comunicada nos relatórios anuais de sustentabilidade da empresa e através da participação no Carbon Disclosure Project (CDP) de Divulgação da Água, que Ford passou a integrar em 2010 - a primeira montadora a fazê-lo.

O CDP serve como uma central para a Ford e outras empresas participantes informarem sobre o uso da água, riscos de água e planos de gestão de água de operações da empresa e suas cadeias de suprimentos.

"Reconhecemos que essas questões ambientais são cada vez mais importantes para os nossos stakeholders, incluindo nossos clientes, investidores e parceiros de negócios", disse Merritt. "A conservação da água é parte integrante da estratégia de sustentabilidade global da Ford. Ao relatar nosso progresso, apoiamos uma mudança social positiva para reduzir o impacto ambiental de nossas instalações”.

Autor(es):

facebook      twitter      google+

Meio Ambiente
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Meio Ambiente