O braço australiano da montadora Toyota anunciou em 23 de janeiro que irá despedir 350 trabalhadores em sua fábrica automobilística australiana, citando a pressão "sem precedentes" em suas operações.

O chefe da Toyota Austrália, Max Yasuda, disse que a empresa iria "ajustar imediatamente sua força de trabalho" em sua fábrica de autos Altona, descrevendo o processo como um passo necessário devidas as "atuais e previstas" condições.

"Toyota Austrália está enfrentando condições operacionais severas, resultando em retornos financeiros insustentáveis devido a fatores como a moeda forte da Austrália, competitividade de custo reduzido e queda de volume, especialmente nos mercados de exportação", disse Yasuda.

Os cortes representam cerca de 7,5% da força de trabalho da planta de montagem industrial. A demanda não conseguiu se recuperar da crise global, com a produção “escorregando” em um escalonamento de 36% desde 2007, quando 149.000 carros foram feitos. Para 2012, está prevista a produção de apenas 95 mil unidades, acrescentou.

"O que nós assumimos era uma circunstância temporária, que se tornou uma situação permanente", disse Yasuda. Os cortes vêm menos de um ano após a Toyota reduzir a produção em 20%, implementando períodos de trabalho de meio-turno, após a ocorrência de terremoto e tsunami, devastando o Japão.

A indústria automobilística emprega diretamente cerca de 46.000 pessoas na Austrália e comporta outros 230.000 empregos, com 219.376 carros feitos no país no ano passado e 1,01 milhões de veículos vendidos.

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Empresas
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Empresas