O setor automotivo é o mais representativo entre os setores consumidores de ferramentas de corte. Mais de 50% do faturamento dos fabricantes de ferramentas são provenientes dos negócios realizados com montadoras e autopeças. Em 2000, o market share da Iscar nesse setor no mundo era de 4%. Quatro anos depois, essa participação já atinge 11,3%.

Segundo David Zola, responsável pelos produtos para a linha automotiva e diretor-técnico da Iscar em Israel, esse crescimento é resultado de uma estratégia adotada há cerca de quatro anos. Até 2000, a empresa fornecia ao setor automotivo apenas soluções parciais, para peças específicas. "Resolvemos investir para oferecer a esse mercado soluções completas, focando tecnicamente cada um dos principais produtos desse setor, como bloco de motor, eixo comando de válvulas etc.", diz. Hoje, a Iscar oferece soluções completas para 15 desses produtos.

Para dar suporte a esses desenvolvimentos, o grupo Iscar também passou a adquirir empresas com linhas de produtos que contribuíssem para formar um portfólio completo. Nesse caso, enquadram-se a Wertec (alargadores e mandrilamento profundo); IT.TE.DI (alargadores, ferramentas para acabamento em PCD e CBN; Outiltec (brocas-canhão). E, principalmente, a Ingersoll, "que trouxe grande contribuição para o nosso suporte à linha automotiva", conforme Zola.

Para um grupo de clientes da Iscar do Brasil, em visita a Israel na semana retrasada, Zola apresentou várias dessas soluções. Entre os destaques a linha completa de ferramentas para a produção de blocos de motor, incluindo as novas pastilhas tangenciais de corte positivo; a pastilha IC 910, de cerâmica (SiN) para a usinagem de ferro fundido vermicular; fresa Tangmill com pastilhas tangenciais; soluções para a usinagem em bimetal (alumínio e ferro fundido); fresas de 400 mm com pastilhas regulares de baixo custo e 16 arestas; e para o fresamento de face em alumínio as pastilhas IC 28, com oito arestas retificadas, e IC 07, superpositiva.

Segundo Zola, os números reforçam o acerto da empresa ao focar o setor automotivo. Em 2000, a empresa tinha 4% de participação nesse setor. Dois anos depois, já registrava crescimento de 50% (6%), e no exercício passado alcançou expressivos 11,3%. Zola informou ainda que a Iscar já é líder mundial em soluções para a usinagem de manga de eixos, inclusive no Brasil.

Autor(es): Usinagem Brasil

facebook      twitter      google+

Empresas
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Empresas