A fabricante de refrigeradores comerciais Metalfrio Solutions investirá R$ 20 milhões para construir uma segunda fábrica, em Três Lagoas (MS) e, com isso, ampliar em cerca de 35% a 40% a sua capacidade de produção.

A empresa, tida como líder do setor, já possui uma unidade industrial em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, que em 2004 respondeu por vendas brutas de R$ 220 milhões - aumento de 28%. A nova fábrica, com 15 mil metros quadrados, terá capacidade para produzir 60 mil unidades por ano quando ficar pronta.

"Tínhamos problemas de picos de produção. Com a nova fábrica vamos ganhar mais flexibilidade", afirma Marcelo Lima, presidente do conselho de administração e acionista da Metalfrio.

A decisão de investimento foi tomada apenas um ano e três meses depois de Lima e outros investidores adquirirem a empresa, por R$ 16 milhões, por meio da Artésia Gestão de Recursos. Antes a fabricante de freezers pertencia à alemã BSH, joint-venture de eletrodomésticos dos grupos Bosch e Siemens.

Lima explica que a unidade de São Bernardo operou em 2004 com ocupação média de 60%. Mas em algumas linhas, e no pico de produção, atingiu a 90% e até 100%. As exportações cresceram 150% em 2004 e passaram a responder por 27% das vendas. Já o mercado doméstico, cresceu fortemente no primeiro semestre, porém acusou o golpe da elevação dos juros a partir de setembro.

A decisão de erguer a nova fábrica vem num momento em que os juros estão elevadíssimos para esfriar a economia interna e o câmbio, desfavorável aos exportadores. "Estamos confiando que o dólar não ficará tão desvalorizado em relação ao real com está hoje. Os juros já começam a fazer efeito."

Enquanto a fábrica principal foi concebida para produzir em grande volume, a nova será voltada para as linhas especiais, de freezers com tamanhos específicos.

A escolha pelo Mato Grosso do Sul para expandir a produção deveu-se a três fatores. A região oferece bom acesso ao Sudeste do país por via rodoviária e ferroviária (a Novoeste) e tem uma boa disponibilidade de mão-de-obra. Mas o que mais pesou foi poder contar com os recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO).

De 50% a 70% do valor a ser investido na nova fábrica deverá vir do FCO, que oferece até 12 anos de prazo de pagamento a juros prefixados. A diferença será coberta com capital próprio da companhia, de acordo com Lima.

Hoje, a direção da Metalfrio assina com o governo do estado o termo de investimento que permitirá entrar com o pedido de financiamento do fundo.

A fábrica deverá gerar 400 postos de trabalho, entre empregos diretos e prestadores de serviço. Em São Bernardo do Campo, a empresa oscila entre 500 e 700 funcionários, justamente por conta dos picos de produção que requerem a contratação temporária.

A expectativa de Lima é que em maio os primeiros produtos comecem a ser feitos em Três Lagoas, a princípio em um espaço alugado. O primeiro módulo da fábrica, com 5 mil metros quadrados, deve ficar pronto em oito meses. O segundo, em um ano e meio, e o terceiro, em até dois anos.

Parte dos equipamentos que serão usados na nova unidade foram arrematados pela Metalfrio no leilão da massa falida da antiga fabricante de refrigeradores Reubly, em agosto do ano passado. "Desde então, analisávamos a melhor destinação para essas máquinas."

Autor(es): Valor

facebook      twitter      google+

Empresas
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Empresas