Analistas apostam em queda de lucro no final de 2011 para a mineradora brasileira, com os preços do minério de ferro sendo pressionados pela China, maior compradora da Vale.A Vale do Brasil SA, segunda maior empresa mineradora do mundo e responsável por mais de um quarto do comércio mundial de minério marítimo de ferro, deve apontar uma diminuição de 21% no lucro em seu relatório do quarto trimestre de 2011. Com a queda do preço dos metais, a empresa mudou a maneira de cobrar pelo minério de ferro, seu principal produto.

O lucro líquido da companhia carioca caiu para US$ 4,68 bilhões nos três meses encerrados em 31 de dezembro, na comparação com US$ 5,92 bilhões no ano anterior, de acordo com a estimativa média de 11 analistas consultados pela agência de notícias internacional Reuters.
-----------------------------------------------------
Indicador de empresas:
Soluções de publicidade do portal Manutenção & Suprimentos
----------------------------------------------------------------------------

Em comparação com o terceiro trimestre, os analistas esperam que o lucro chegue a cair 5,21%. As estimativas são baseadas em procedimentos contábeis geralmente aceitos nos EUA.

"São esperados fracos resultados trimestrais no relatório da Vale", afirmam Felipe Reis e Alex Sciacio, analistas do setor de mineração do Banco Santander em nota a clientes.

Lucro líquido da Vale cai 21%

Maior cliente da Vale, a China tem pressionado os preços de minério de ferro para baixo

"Acreditamos que boa parte das vendas da companhia no quarto trimestre vai refletir uma mudança no mecanismo de preços de minério de ferro", disseram.

Segundo os analisas do Santander, buscando o acesso mais rápido a um preço global competitivo para o minério de ferro, as siderúrgicas na China, maior mercado da Vale, fizeram a empresa precificar o minério com base num preço médio à vista, em vez de um preço com base na média dos trimestres anteriores.

O preço chinês para o minério de ferro com 62% de conteúdo de minério de ferro, uma referência para o minério de alta qualidade, custou, em média, US$ 141,80 dólares por tonelada no quarto trimestre de acordo com o serviço de preços de commodities Platts.

O valor está 11% abaixo da média de US$ 159,65 no ano anterior e 20% abaixo da média de US$ 177,56 no terceiro trimestre.

As vendas da Vale devem cair 15,9% em relação ao terceiro trimestre, quando a receita líquida foi de US$ 16,7 bilhões.

As vendas da Vale devem cair 15,9% em relação ao terceiro trimestre, quando a receita líquida foi de US$ 16,7 bilhões.

Menores volumes de vendas também são esperados, segundo Edmo Chagas e Antonio Heluany, analistas do BTG Pactual.

"Nós não esperamos que os resultados tragam muitas surpresas, mas acreditamos que as questões de custos devem se prolongar e nós vemos espaço para alguma decepção", disse Chagas e Heluany. Eles esperam que o custo do minério de ferro permaneça perto dos níveis atuais em 2012 e abaixo da média para 2011.

Os preços para outros metais importantes da Vale também caíram. O níquel, metal em que a Vale tem a maior capacidade de mineração no mundo, para média de três meses de entrega está em US$ 18.396 a tonelada em Londres, no quarto trimestre, 19% menos que no ano anterior e 17% menos do que no terceiro trimestre. Já o  cobre para três meses de entrega caiu 13% para uma média de US$ 7.530 por tonelada no quarto trimestre do ano anterior - 16% a menos em comparação ao terceiro trimestre.

(com informações da Reuters)

Autor(es):

facebook      twitter      google+

Mineração
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Mineração