China diminui exportações no início de 2012O saldo comercial da China caiu 31,5 bilhões de dólares, entrando em fevereiro no vermelho. A sobreposição das importações em cima das exportações resultou no maior déficit em pelo menos uma década e alimentou dúvidas sobre o gigante asiático, na medida em que a demanda externa fraca ou distorção sazonal levou à queda.

O crescimento das importações de 39,6% em fevereiro foi o mais forte em um ano, bem antes do esperado e 27% mais do que o dobro da taxa de crescimento das exportações de 18,4%, pouco mais da metade a previsão do ritmo – mesmo que tenha sido a maior alta nos últimos seis meses.

-----------------------------------------------------
Indicador de empresas:
Soluções de publicidade do portal Manutenção & Suprimentos
----------------------------------------------------------------------------

"É um retrato muito variado", disse Zhang Zhiwei, economista e chefe da Nomura, em Hong Kong, que advertiu contra a leitura dos dados fornecidos. Segundo ele, a volatilidade subjacente tem raízes no feriado chinês do Ano Novo Lunar, que ocasionou o fechamento de fábricas por uma semana em janeiro de 2012 e fevereiro do ano passado.

Fábricas chinesas fecharam para o feriado nacional do Ano Novo Chinês em fevereiro

                                                    Fábricas fecharam para o feriado nacional do Ano Novo Chinês

Pelos cálculos de Zhang, ajustando os dias trabalhados e excluindo a volatilidade da crise financeira, as exportações parecem ter apontado uma das mais baixas taxas de crescimento mensal desde meados de 1990. "Mas há um ponto em que as importações, especialmente as de componentes importados para fins de exportação, foram fracos em janeiro, mas tornaram-se um pouco melhores em fevereiro. Minha expectativa é que as exportações de março e abril vão crescer a partir deste nível", disse ele à agência de notícias Reuters.

Os economistas do HSBC alertaram os clientes para se prepararem para um déficit de aproximadamente US$ 28 bilhões. O consenso do mercado era de um déficit de US$ 4,9 bilhões.

Analistas consultados pela Reuters dizem que as distorções do Ano Novo Chinês significam que os investidores devem combinar os dados de janeiro e fevereiro para avaliar melhor a tendência do comércio internacional.

Alguns avisos vieram, no início da semana, do ministro do Comércio, Chen Deming, que disse em entrevista coletiva na quarta-feira que o valor das importações e exportações em janeiro e fevereiro combinadas aumentou em cerca de 7%.

Exportações chinesas devem continuar crescendo lentamente com a recuperação dos EUA e União Europeia

Exportações chinesas devem continuar crescendo lentamente com a recuperação dos EUA e União Europeia

O governo tem como alvo o crescimento anual de cerca de 10% para as importações e as exportações em 2012. O crescimento trimestral econômico da China é previsto pelos analistas para reduzir para pouco mais de 8% no primeiro trimestre, em comparação a 8,9% no trimestre anterior, marcando o quinto trimestre consecutivo de desaceleração e, provavelmente, colocando a economia no caminho para seu ano de crescimento mais lento em uma década.

O aumento das importações de commodities em fevereiro aliviou algumas das preocupações dos analistas. A China importou um recorde de 5,95 milhões de barris de petróleo por dia em fevereiro, 18,5% a mais do que no mesmo período no ano passado, enquanto as importações de minério de cobre e ferro também foram fortes. Seja para permitir o armazenamento antecipado de pedidos crescentes para exportação, ou para aumento da demanda e os gastos de infraestrutura nacional, os sinais foram positivos.

A lenta, mas constante recuperação dos EUA e da União Europeia, os maiores mercados chineses atualmente, é a principal razão pela qual o país oriental não está desesperado em relação aos últimos dados da balança comercial.

Autor(es):

facebook      twitter      google+

Comércio Internacional
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Comércio Internacional