A diretoria da Companhia Vale do Rio Doce não acredita em desaceleração na demanda mundial por minério de ferro. O diretor de Relações com Investidores da empresa, Roberto Castello Branco, disse ontem que o cenário é até favorável. “Sabemos que existem expectativas pessimistas, segundo as quais o preço cairia e a demanda estaria desacelerando. Mas esses temores não se confirmam com os dados que temos”, disse. A visão positiva da empresa reforça seus investimentos. De janeiro a março, a Vale extraiu 24,4 milhões de toneladas de minério de ferro em Minas, 8,4% a mais que igual período de 2004. Se acrescentar os desempenhos da MBR (10,8 milhões de toneladas) e Samarco (3,3 milhões), empresas do grupo, a mineradora produziu 38,8 milhões de toneladas no Estado.

A Vale planeja investir R$ 2,1 bilhões na ampliação da capacidade de produção no Estado, mais R$ 1,1 bilhão em ferrovias e R$ 287 milhões em eletricidade. Segundo Castello Branco, os preços de entrega a curto prazo estão 40% acima da referência para contratos. “Há excesso de demanda”, diz. Para ele, os estoques de minério nos portos da China estão baixos, suficientes para só três semanas de consumo. Os cinco projetos de expansão em andamento no Estado acrescentarão 61 milhões de toneladas à sua capacidade produtiva anual.

Autor(es): Estado de Minas

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia