embargo comercialUm embargo comercial é uma jogada política de um país contra outro. Enquanto a manifestação de um determinado embargo pode ter inúmeros aspectos, de modo geral, o país que promove o embargo vai proibir a maioria ou todas as pessoas no seu país de fazer negócios com a nação contra a qual a política de embargo comercial é imposta. Nesse caso, pode-se até mesmo haver a proibição de visitas de cidadãos do país embargado. Essencialmente, uma apreensão comercial é uma estratégia para obrigar a adoção de posturas e medidas por parte de outra nação.

Alguns embargos comerciais podem ser destinados a sancionar um governo que não está cumprindo as leis, tratados ou acordos. Confiscos comerciais às vezes são chamados de "sanções econômicas." É um meio pelo qual um país pode obrigar outros a cooperar com as leis internacionais.

Talvez, um dos confiscos comerciais mais famosos nos últimos tempos aconteceu entre Estados Unidos e Cuba. O embargo foi estabelecido na esperança de que a proibição do comércio com Cuba enfraqueceria a economia do país a ponto de Cuba derrubar Fidel Castro e implementar um governo democrático. Na verdade, a lei que proíbe o comércio com Cuba foi renomeado em 1992, embora o embargo inicial tenha começado em 1962.

Embargo dos EUA contra Cuba permanece ainda hoje.

                                                  Embargo dos EUA contra Cuba permanece ainda hoje.

Nos termos da Lei de Democracia Cubana, os Estados Unidos não fazem negócios com Cuba, e não permitem que os investidores cubanos possam aplicar dinheiro nos EUA. Visitar Cuba somente com a obtenção de uma licença especial para uma visita. Visitantes políticos dos EUA devem explicar o dinheiro gasto em Cuba, e também podem ser restringidos a uma quantia de dinheiro gasto ao dia. A compra de itens de Cuba ou o envio de dinheiro para a família e amigos de Cuba não é permitido. Embora a economia cubana tenha se enfraquecido por décadas com o embargo americano, o país não mostra sinais de adoção de um governo democrático.

Nos EUA, participar de uma sanção econômica secundária é proibido. Um embargo de comércio secundário ocorre quando um país tenta coagir relações de negócios de um país terceiro. Um exemplo de um embargo secundário seria uma decisão tomada pelos EUA em pressionar as empresas para não negociarem com Israel, porque Israel estabeleceu um embargo com qualquer país árabe, ou alternadamente, se os EUA obrigassem as empresas a não comercializar com o país para que Israel suspendesse o confisco. Pressionar as empresas para formar um confisco secundário não é apenas ilegal, mas deve ser comunicado.

Isto não significa que um embargo não possa ser estabelecido por mais de um país. Na verdade, um país em violação das leis internacionais pode ter várias nações impondo um embargo contra ele. Isto é mais provável para atingir os seus fins, se vários países cessam suas relações financeiras com o país.
-----------------------------------------------------
Indicador de empresas:
Soluções de publicidade do portal Manutenção & Suprimentos
----------------------------------------------------------------------------

Na maioria das leis na maioria dos países, há momentos especiais, quando um embargo pode ser violado. Um país ainda pode oferecer ajuda se um desastre natural ocorre, ou pode patrocinar os esforços de organizações como a Cruz Vermelha para ajudar a obter apoio para os extremamente pobres ou aqueles que necessitam de atenção médica. No entanto, quando um embargo existe, um país nunca vai entregar o dinheiro ao governo de outro país. Em vez disso, eles vão financiar os esforços humanitários que chegam às pessoas diretamente.

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Comércio Internacional
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Comércio Internacional